Se essa rua fosse minha | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Se essa rua fosse minha

Se essa rua fosse minha

Rua onde funcionava a rodoviária terá novidades em breve

Quase como um padrão, em paisagens urbanas de cidades do interior, o centro do município constitui-se de três elementos fundamentais em torno de uma praça: Uma igreja, uma prefeitura, e uma rodoviária. No centro de Gravataí, a Matriz Nossa Senhora dos Anjos continua intacta, e o prédio com o gabinete do prefeito também está lá, mas a rodoviária desapareceu do cenário central da cidade.

O antigo prédio da rodoviária de Gravataí, na Avenida Osvaldo Aranha, foi derrubado na manhã do dia 17 de abril deste ano. No local, passam diariamente diversas linhas intermunicipais, principalmente com destino a Porto Alegre e litoral norte. Outras linhas municipais também utilizam a avenida como itinerário. A mudança não afetará os passageiros, já que somente bilhetes para Glorinha, Santo Antônio da Patrulha e demais cidades do litoral eram vendidas no balcão, e estes podem ser comprados no interior dos coletivos.

Para Rosane Silveira, 36 anos, que utiliza o transporte coletivo diariamente para voltar pra casa, o fato causa estranhamento. “Passo sempre por aqui e estava acostumada com o prédio. Agora eu aguardo meu ônibus e olho para o local, parece que falta algo”, destacou Rosane.

O auxiliar administrativo Ronaldo Cruz, que utiliza a linha Direto Porto Alegre todas as manhãs, considera válida a extinção do prédio, mas que uma nova opção de comércio seja implantada no local. “O ponto era bom, sempre que eu esperava o ônibus podia comprar algo no bar, ou na banca.”

A área onde funcionava um comércio passagens e também de alimentos é de propriedade da Prefeitura. O local funcionava como ponto de venda de passagens de uma única empresa, a Unesul, sendo que a maioria dos bilhetes destas linhas, no entanto, é vendida dentro dos próprios ônibus. Assim, um balcão comercializando passagens não seria necessário.

Segundo o Secretário de Mobilidade Urbana, Adão Castro, o Daer abriu licitação para que empresas interessadas pudessem construir uma nova rodoviária, mas não houve interessados. Uma das causas da falta de entusiasmo com a licitação seria a inviabilidade econômica. Conforme o secretário, a Prefeitura tem projetos para a revitalização daquela área, como a criação de um calçadão. Porém, inicialmente, após a remoção do antigo prédio, novas paradas de ônibus serão instaladas. Estas estruturas são maiores, mais confortáveis e devem entrar em funcionamento até o final do mês.

 

O nome também vai mudar

A rua da antiga rodoviária, Osvaldo Aranha, deve mudar de nome em breve. Foi aprovado, por unanimidade, no dia 03 de fevereiro, um projeto de lei que institui o nome Rua Prefeito José Linck, em substituição ao antigo nome. O projeto é de autoria do Vereador Beto Pereira. O homenageado, José Linck, foi prefeito da cidade por três mandatos com relevantes feitos pelo município. Popularmente conhecido como Zequinha Linck, faleceu em 1991, aos 84 anos.

Texto: Filipe Foschiera




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *