Peça "Paixão de Cristo" retorna em abril | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Peça “Paixão de Cristo” retorna em abril

Peça “Paixão de Cristo” retorna em abril

Um dos mais aguardados eventos da comunidade gravataiense, o espetáculo teatral Paixão de Cristo de Gravataí, já tem data confirmada: será nos dias 31 de março e 1º de abril, terça e quarta-feira, às 20h30min, em novo local, com ampla acessibilidade e envolvimento da comunidade local.

A cada edição, a Paixão de Cristo de Gravataí apresenta novidades. Em 2014, o espetáculo proporcionou acessibilidade aos deficientes visuais por meio de uma sessão de audiodescrição e espaço destinado a cadeirantes. Este ano, a montagem inova ao se apropriar de uma dos cartões postais da cidade. “Buscamos a Igreja Matriz de Gravataí como cenário”, explica o ator, produtor e diretor geral do projeto, Paulo Adriane, que também interpreta o papel de Jesus na encenação. “Como o espetáculo é na rua, temos a possibilidade de transformá-lo e adaptá-lo de acordo com as escolhas e necessidades que buscamos, anualmente, para que sempre se renove e para que a plateia fiel, que nos acompanha, há tanto tempo, possa assistir o melhor do que nos propomos”, detalha o diretor. Paulo Adriane antecipa que o público irá se surpreender com as mudanças. “Teremos cenas novas, atores voltando a fazer o espetáculo, outros que trocaram de personagens, temos um núcleo de direção cênica muito competente. Este ano, o elenco está nas mãos de Flávio Vidaurre, Vanessa Greff e Vitor Santantônio. Com isso tudo teremos muitos momentos emocionantes!”, assegura.

Repetindo uma bem sucedida experiência, será realizada uma sessão de audiodescrição, que favorecerá a apreciação do espetáculo para até 50 deficientes visuais. Será destinada uma cabine acusticamente isolada de onde um narrador transmitirá aos usuários, por meio de equipamento específico, sem fio, com fones de ouvido. “Este recurso garante a compreensão, em igualdade de condições, de todo espetáculo por parte das pessoas com deficiência”, assegura Adriane. Também será garantido o acesso de cadeirantes e idosos.

Com roteiro de Daniel Assunção e direção cênica de Flávio Vidaurre, o espetáculo teatral Paixão de Cristo de Gravataí descreveos eventos e os sofrimentos – físicos, espirituais e mentais – de Jesus nas horas que antecederam seu julgamento e sua execução através da crucificação. Para contar estar história cultuada em várias cidades do mundo, cerca de 80 profissionais, entre artistas, técnicos e produtores, de destacada atuação no cenário gaúcho, foram convidados. “É a maior produção artístico/teatral realizada no município”, destaca Paulo Adriane. “Além disso, conta com a participação de diversos moradores da cidade, que se dedicam ­­de corpo e alma à extenuante rotina de ensaios, que ocorrem aos sábados e domingos”, diz.

Apresentado desde 1999, a Paixão de Cristo é, hoje, um dos principais eventos culturais de Gravataí, atraindo sempre um grande público. Desde 2010, está inserido no calendário oficial da Prefeitura de Gravataí e é ansiosamente aguardado pela população gravataiense. Com uma produção primorosa, A Paixão de Cristo de Gravataí tem direção musical de Everton Rodrigues, figurinos de Glau Barros, cenário e adereços de Dealynson Veiga, coreografias de Sayonara Sossa e direção de produção de Renata Becker e produção executiva de Vinicius Soares.

No elenco, nomes premiados do cenário gaúcho. Para Paulo Adriane, o principal desafio para manter o projeto vivo é o de enfrentar a realidade e fazer com que a realidade não afete a ficção. “Porque viver é um desafio, produzir arte é um desafio ainda maior”, reflete, e conclui: “só que o bonito da arte, é que buscamos até o fim uma forma de a obra se tornar viável, independente das condições ou dificuldades que possam surgir”.

A Cia de Atores Independentes é a realizadora do espetáculo, que tem o Patrocínio Ouro da Concepa e SOGIL. Bem como o apoio da Prefeitura de Gravataí, Fundarc, CTG Aldeia dos Anjos, Sindilojas Gravataí e Mount Café. O espetáculo é uma co-produção com o Sesc.