Jovem de Gravataí precisa de transplante de medula | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Jovem de Gravataí precisa de transplante de medula

Jovem de Gravataí precisa de transplante de medula

O gravataiense Cristiano Rabaioli Dalla Nora, de 22 anos, está precisando da ajuda de possíveis doadores de medula óssea. O jovem está internado no Hospital Santa Rita, do complexo Santa Casa, em estado grave. Ele sofre de Leucemia e somente um transplante de medula óssea poderia ajudá-lo.Cristiano passou por 4 ciclos de quimioterapia, e apresentou melhoras no quadro clínico. Porém, no dia 10 de Janeiro, os sintomas da leucemia voltaram e ele foi internado no hospital, onde segue até o momento.

Para se tornar um doador de medula, basta visitar o Hemorgs (Hemocentro do Estado do Rio Grande do Sul), realizar o cadastro para doador e colher uma amostra de sangue. O registro ficará em um sistema, aguardando um paciente compatível, que poderá ser o Cristiano. O Hemorgs funciona de segundas a sextas, das 8h às 18h, na Avenida Bento Gonçalves, 3722, no bairro Partenon, em Porto Alegre. O telefone de contato para informações é (51) 3336-6755 e o endereço na internet é www.hemocentro.rs.gov.br


Medula, leucemia, e os sintomas:


A leucemia é uma doença maligna dos glóbulos brancos (leucócitos) de origem não conhecida. Ela tem como principal característica o acúmulo de células jovens (blásticas) anormais na medula óssea, que substituem as células sangüíneas normais. A medula é o local de formação das células sangüíneas, ocupa a cavidade dos ossos e é conhecida popularmente por tutano. Nela são encontradas as células mães ou precursoras, que originam os elementos do sangue: glóbulos brancos, glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos) e plaquetas.


Os principais sintomas da leucemia decorrem do acúmulo dessas células na medula óssea, prejudicando ou impedindo a produção dos glóbulos vermelhos (causandoanemia), dos glóbulos brancos (causando infecções) e das plaquetas (causando hemorragias). Depois de instalada, a doença progride rapidamente, exigindo com isso que o tratamento seja iniciado logo após o diagnóstico e a classificação da leucemia.

Texto: Filipe Foschiera