Gravataienses no palco com "O Gato de Botas" | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Gravataienses no palco com “O Gato de Botas”

Gravataienses no palco com “O Gato de Botas”

Com produtor, coreógrafo, atores e músicos naturais do município, espetáculo entra em cartaz esta semana no Teatro do Sesc

O espetáculo musical é inspirado no conto de fadas do escritor francês Charles Perrault, incluído no livro “Les contes de ma mère IOye”, publicado em 1697. Nesta história, um bando de gatos vem a público para reivindicar o título de “melhor amigo do homem”, atribuído até então aos cães. Com este intuito se reúnem para contar a história de um gato, que ao calçar um par de botas muda a sorte e o destino de seu amo, um rapaz pobre e sozinho. Através de sua inteligência e arte, o gato conquista a confiança e admiração do rei, vence o terrível feiticeiro e devolve ao seu dono o castelo, antes furtado pelo gigante malvado. Em meio a canções inspiradas na música cigana e coreografias baseadas no flamenco e na dança contemporânea, os gatos provam que também podem ser chamados de melhores amigos do homem.

Com trilha sonora original de Arthur de Faria e Letras de Daiane Oliveira, as músicas são executadas ao vivo por músicos que acompanham os atores/cantores. A criação das canções foi inspirada na musicalidade cigana. A partir daí surgiu uma linha musical, com identidade própria, embasada nos timbres de violão e cordas, cajón e acordeon, complementados por instrumentos de percussão e castanholas, que também são usados para compor os efeitos sonoros do espetáculo

Todo o conceito musical está ligado à cultura cigana da troupe, que na peça monta o espetáculo. Há desde climas de “jazz manouche” dos ciganos franceses dos anos 20 e 30 (cujo grande nome era Django Reinhart), até citações à música cigana do leste europeu, popularizada através de artistas como Goran Bregovic e Emir Kusturica, passando pela cultura sefaradi dos judeus da Espanha, que tem a ver com a gênese da música flamenca e também com a música cigana da região.

O figurino foi concebido no intuito de permitir a versatilidade do ator, uma vez que os gatos assumem diversos personagens. Devido à inspiração “cigana”, as cores estão bastantes presentes. O figurino do Gato de Botas tem inspiração na dança flamenca, uma vez que ele calça as botas e dança flamenco para que, através de sua dança, encante e através de sua inteligência, conquiste. Para os demais personagens gatos, a inspiração foi à pelagem dos animais, que serve como figurino base.

1800473_914131621947579_1680015974167233015_n

O cenário confeccionado por tecidos de diversas texturas, metal, madeira e sisal. Com cores opacas de madeira e corda,o cenário contrasta com o colorido dos figurinos. O cenário é móvel e se transforma em diversos ambientes, na medida em que as cenas vão se desenvolvendo. A concepção de luz tem por finalidade marcar bem as diferentes ambientações e o espaço-tempo, através das tonalidades de azul, âmbar e variações de vermelho. A iluminação contribui ainda para a criação de sombras chinesas.

O espetáculo será apresentado em diversos formatos, e inicia na quinta-feira, quando o grupo participa do Teatro a Mil. O projeto é um circuito cultural do SESC que leva o teatro infantil a diversas regiões do estado com apresentações gratuitas. O Agendamento para escolas públicas deve ser feito diretamente com a unidade do SESC para as apresentações das 10 e 15h. Na Sexta feira dia 13 ocorre a venda de ingressos para escolas particulares nos períodos das 10 e 15h, e no sábado a apresentação é aberta ao grande público, às 15h. Os ingressos podem ser encontrados diretamente na bilheteria do teatro do Sesc.

No elenco há quatro gravataienses, o ator e produtor Henrique Gonçalves, o ator e coreógrafo Guilherme Ferrêra e os músicos Fernando Catatau e Marcão Acosta. “É uma honra estarmos apresentando esse musical para a cidade de Gravataí, abriremos a temporada 2015 do espetáculo aqui na cidade onde moro, e isso é uma grande honra”, destacou Henrique. Esse espetáculo foi criado em 2013, e já no ano de sua estréia recebeu três troféus Tibicuera, a maior premiação do Teatro infantil da Cidade de Porto Alegre. “Esperamos todos para dividir essa grande experiência teatral e esperamos que através desse espetáculo possamos educar e transformar com arte”, finalizou o produtor.