Descarte irregular de lixo onera cofres municipais em cerca de R$ 3,5 milhões por ano | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Descarte irregular de lixo onera cofres municipais em cerca de R$ 3,5 milhões por ano

Descarte irregular de lixo onera cofres municipais em cerca de R$ 3,5 milhões por ano

Valor seria o suficiente para construir uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) a cada 12 meses

Jacson Dantas

Cerca de R$ 3,5 milhões são gastos por ano pelo governo municipal devido ao descarte irregular de lixo realizado pela população gravataiense. O valor seria o suficiente para construir uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) a cada 12 meses, por exemplo. Entretanto, como a prática de se desfazer do que não tem mais serventia em casa de forma incorreta não para, R$ 280 mil reais por mês são desembolsados para dar o destino correto ao lixo que a população ‘joga’ em vias da cidade, terrenos baldios, entre outros locais. O valor poderia ser economizado e aplicado em outras áreas de interesse público se o lixo fosse descartado em locais corretos, como os Ecopontos. (saiba mais na sequência do texto).
Na última semana do mês de outubro, mais de 10 caçambas de caminhão Truck de lixo foram recolhidos só no Distrito Industrial. Menos de 15 dias após a limpeza realizada pela secretaria municipal de serviços urbanos (SMSU), caixas de papelão, roupas, calçados, lixos domésticos, animais mortos, garrafas de vidro, entulhos de construção civil e até aparelhos eletrônicos, como televisores, surgiram às margens da Avenida Plínio Gilberto Kroeff. Paulo Ricardo, de 70 anos, trabalha há uma década e meia na região do Distrito. Diariamente, ele caminha pela localidade para vender sorvetes, picolés, água e sucos. Faça chuva ou faça sol! Em todo este tempo muita coisa já viu acontecer, entre elas, o descarte irregular de lixo. Sem rodeios, denuncia: “Muita gente pode pensar que são só os carroceiros que vêm aqui para largar esse lixo todo, mas não são não. Tem muitos que moram no bairro Paradiso que eu já vi largando coisas aqui”. E vai mais além: “Segunda e sexta de tardezinha são os dias que o pessoal mais vêm aqui para jogar o lixo na beira da estrada”.
Entre janeiro e novembro deste ano já foram recolhidos 61.613 toneladas de lixo em toda a cidade, o que contabiliza cerca de 215 toneladas recolhidas por dia. No ano passado, foram 67.004 toneladas de lixos recolhidos. Além do mau cheiro e problemas com a proliferação de ratos e outros animais, o descarte irregular de lixo, contendo garrafas, potes e outros materiais que servem como recipientes de água da chuva, favorece a proliferação do mosquito da dengue. Todo o cuidado é pouco, ainda mais com a chegada do verão.

Descarte irregular de lixo gera multa
Segundo a lei municipal 3.440/2013 quem for pego jogando lixo em vias públicas pode ser multado. O valor varia conforme o volume de lixo, oscilando entre R$200 e R$3.750.
Os fiscais da Prefeitura autuam sempre que flagram e também quando recebem comprovação por parte da população, através de fotos com veículos fazendo o descarte. Sendo assim, a multa decorre a partir da placa do veículo.

dsc04300

Como denunciar
As denúncias podem ser feitas por telefone também, e havendo foto que comprove, mesmo que a placa não esteja legível, serão validadas. O telefone da Secretaria Municipal de Serviços Urbano para denúncias é 3600.7501, também podem ser contatados através do e-mailsmsu@gravatai.rs.gov.br, e ainda pela ouvidoria da Prefeitura no telefone 3600.7028.

Onde fazer o descarte corretamente
Gravataí conta com dois ecopontos para o descarte de resíduos oriundos da construção civil, bem como galhos, resto das podas feitas em praças e avenidas, por exemplo, assim como também móveis antigos. Os locais não aceitam os eletrônicos e pneus.
O primeiro ecoponto existe desde agosto de 2010 e fica localizado na Morada do Vale I, na Avenida Álvares Cabral, 1102, já o segundo, está localizado no bairro Princesa Isabel entre as ruas Princesa Isabel e Jorge Tadeu. A cidade ainda conta com um mini ecoponto coordenado pela Cooperativa dos Catadores na nova Vila dos Papeleiros, no bairro Neopólis.

Valor poderia ser revertido em…
Com o valor gasto anualmente com o descarte irregular de lixo na cidade poderia ser construída e mobiliada uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) porte 2 (construção e mobiliário = R$ 3,5 milhões); também seria possível construir dois novos centros obstétricos (R$ 1,6 milhão) nos mesmos parâmetros do que hoje existe, obedecendo todas as diretrizes do parto humanizado como o Hospital Dom João Becker possui atualmente, após a modernização e ampliação realizada pela Prefeitura; ainda, com este montante, seria possível construir fisicamente quase 5 novos quartéis do Corpo de Bombeiros (R$ 750 mil), como o que está em construção atualmente na Av. Dorival, próximo à UPA da 74.