Cães mortos são encontrados em área de preservação | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Cães mortos são encontrados em área de preservação

Cães mortos são encontrados em área de preservação

Dezessete cães mortos foram descartados em um terreno próximo a divisa de Gravataí com Alvorada, na manha desta quinta-feira (26). A suspeita é de que os animais pertenciam a alguma clínica veterinária da região, pois apresentavam sinais de congelamento e alguns estavam em sacos ou com as patas amarradas. Os cães foram deixados no terreno durante a madrugada e encontrados por moradores do local no início da manhã. Os animais mortos foram recolhidos e serão levados para o aterro sanitário de Minas do Leão.

A Rua dos Funcionários, no Bairro Passo das Canoas, local onde os cães foram encontrados, fica próximo à ERS-118 e ao Rio Gravataí, e faz parte de uma área de preservação ambiental. Como não há câmeras de segurança na região ou testemunhas, identificar o autor do crime ambiental será uma tarefa difícil. Um dos moradores visualizou uma caminhonete próxima ao local, durante a madrugada, mas não conseguiu precisar o modelo do automóvel ou placa.

A punição por crime de maus tratos não será aplicado neste caso, e a morte dos animais não será analisada devido ao estado físico em que se encontravam os cães. Segundo um especialista, a morte destes animais pode ter acontecido naturalmente em alguma clínica veterinária ou canil da região, por doença ou alguma briga entre animais.

Raquel Machado, 20 anos, conta que a funcionária de sua mãe, próximo das 8 horas, chegando à residência da família, avistou vários cães deformados e mortos em um terreno próximo e avisou. A estudante de Publicidade e Propaganda então voltou ao local e fotografou os animais. Ela descreve que haviam 15 cães, filhotes e adultos, aparentemente congelados, junto à um saco com órgãos internos.

Um vizinho passou por Raquel, enquanto fotografava, e disse ter notado movimentação de uma caminhonete na frente da fazenda onde mora, que é a ultima da rua, por volta da 1h. Ela destaca que provavelmente tenham tentado descartar neste local, mas como avistaram a movimentação na casa deixaram na ponta da rua. “Isso é crime! Espero que os culpados sejam identificados e punidos devidamente. Aqueles cães mereciam um fim digno”, finalizou.

A diretora-presidente da FMMA, Cláudia Costa, informou que esses animais foram descartados de forma irregular. “Os indícios mostram que os animais são de uma clínica veterinária, considerando o fato de que estão congelados. Certamente quem fez isso não quis pagar pelo descarte correto, ou quis obrigar a prefeitura a fazê-lo”, disse. A preocupação maior, segundo Claudia, é o fato de que os animais colocados em área de preservação podem ser prejudiciais ao Rio Gravataí. “Não sabemos identificar a causa da morte dos animais, podem ter morrido por diversos motivos, incluindo doenças. Caso algum deles caia no rio há um risco de contaminação ainda maior com o degelo deles na água”, conclui.

O episódio é considerado crime pelos dois órgãos municipais, a Fundação Municipal de Meio Ambiente pode atuar segundo a Lei Federal N° 9.605, multando o autor por ação lesiva ao meio ambiente, o valor pode variar entre R$ 500 e R$ 1 milhão. Já pela SMSU, a infração é considerada gravíssima, segundo o Código de Limpeza Urbana, equivalendo a 1000 Unidades Fiscais do Município, a multa ultrapassa os R$ 3 mil pelo código de limpeza municipal. A FMMA investiga o caso e busca vestígios para localizar o autor.

Texto: Filipe Foschiera