Polícia ainda não tem pistas sobre bandidos que mataram trabalhador | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Polícia ainda não tem pistas sobre bandidos que mataram trabalhador

Polícia ainda não tem pistas sobre bandidos que mataram trabalhador

A polícia ainda não tem pistas sobre os malacabados que assassinaram João Paulo de Souza Rocha, 32 anos, na noite de segunda-feira. O empresário, foi morto covardemente enquanto buscava o filho na escola. Os assassinos estavam em uma motocicleta e levaram o dinheiro que ele havia sacado, instantes antes para pagar a quinzena dos funcionários. Com essa, foram três mortes no mesmo dia.

O crime aconteceu por volta das 18h30, na rua Diadema, no Parque Florido. De acordo com a polícia, instantes antes, o empresário que era morador do Parque Florido, tinha passado em um caixa eletrônico onde sacou uma quantia para pagar a quinzena dos funcionários. A polícia acredita que os criminosos tenham seguido a vítima, desde a saída do banco. Quando chegou na frente da escola, onde esperava o filho, os dois ocupantes da motocicleta abordaram João que acabou sendo atingido com quatro disparos.

A polícia ainda não apurou se ele tentou reagir ao assalto. Fato é que a vítima morreu na hora. O caso, como é crime de latrocínio, vai ser investigado pela 2ª Delegacia de Polícia (DP). Outras duas mortes Mas a segunda-feira foi marcada por outras duas mortes. No início da tarde, João Ezequiel Fialho Santos, levou pelo menos 16 tiros. Conforme a polícia, por volta das 13h30, ele estava em sua casa, no bairro Neópolis, quando dois homens teriam o procurado. Durante uma rápida discussão, acabou sendo atingido por 16 disparos de pistola. Ele chegou a ser socorrido pelos vizinhos, sendo encaminhado até o pronto Atendimento 24 Horas, mas não resistiu e morreu no final da tarde.

A partir de depoimentos dos moradores do local e da mãe da vítima, a polícia já está atrás de um dos suspeitos. O outro suspeito ainda não foi identificado. Conforme os policiais da delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ainda não há informações sobre a motivação do crime. Pela manhã, Éverton Douglas Raths, 24 anos, já tinha sido encontrado jogado em um valão, no Rincão da Madalena, com pelo menos dois ferimentos nas costas. O corpo, que estava com parte submersa, foi encontrado por volta das 9h40 de segunda-feira, em uma vala na rua Presidente Kennedy. Nesse caso, a polícia já sabe quem são os autores da morte.

Texto: Patricia Mello