Para não pagar dívida por compra de casa, bandidos matam filho e cachorra da dona | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Para não pagar dívida por compra de casa, bandidos matam filho e cachorra da dona

A compra de uma casa pode ter sido a motivação de um crime cruel e bárbaro que teve como cenário o Rincão da Madalena no dia 13 de fevereiro passado. O auxiliar de obras Rafael Trajano, 25 anos, e sua fiel companheira, a cadelinha Preta, foram executados por bandidos que compraram a casa da mãe do jovem e não queriam pagar. Os criminsos já foram identificados e a polícia aguarda o comparecimento deles para prestarem esclarecimentos.
A noite de 13 de fevereiro não sai da cabeça da família de Rafael. Eram cerca de 1h30 da madrugada quando os moradores de uma casa próxima ao segundo cemitério dormiam. Na rua estava a cadelinha Preta, uma mistura de linguicinha com vira latas. O animal já estava com a família a uns oito anos. Tudo parecia normal até que Preta começou a latir insistentemente. Junto a isso, barulho veio da sala e passos. Rafael, que dormia no quarto junto com a esposa e a filha de sete anos, despertou assustado e foi ver o que tinha acontecido. A filha acordou, mas foi impedida pela mãe de levantar.
Logo começou uma gritaria e estampidos. Rafael tinha sido atingido. A mãe assistiu a tudo e nem seus pedidos de “por favor, deixem o meu filho”, adiantou. Ao contrário. Um dos bandidos ainda botou a arma em sua cabeça e disse que era para a ela atender o prazo que eles tinham dado e sumir da vila. A mulher, que por medo não quer ser identificada, revela que os matadores do filho tinham dado prazo para que a família saísse da casa em dez dias. Caso contrário iriam sofrer as consequências. Ela diz que a família chegou a sair e dormir fora da casa, mas que voltou naquele dia, sem imaginar que algo tão ruim pudesse acontecer. Revela ainda que já tinham enfrentado problemas com os mesmos homens em outra casa, também na Vila Rica e que acabaram abandonando o local. Não soube explicar o motivo pelo qual estavam sendo expulsos dessa casa, mas adiantou que a morte do filho não tem nada a ver com drogas, pois o filho, que teve uma passagem pela polícia por tráfico, estava trabalhando atualmente e que a prisão, ocorrida no ano passado, foi um erro.
A mãe de Rafael não soube precisar o exato momento em que os bandidos, por pura maldade, deram um tiro na cabeça de Pretinha. A cachorra morreu. “Não dá para acreditar que fizeram tudo isso. Mataram o meu filho e também a nossa fiel companheira. Foi tudo pura maldade”, ponderou.

Identificados

De acordo com o chefe de investigações da Delegacia de Homicídios, Jair Gonçalves, os criminosos já foram identificados e a polícia aguarda que compareçam na delegacia para prestar esclarecimentos. Caso contrário, adianta que a polícia vai tomar as medidas cabíveis. Ele confirma que a principal linha investigativa é a da venda da casa.
Pelo apurado, a mãe de Rafael teria vendido uma casa para os assassinos e eles acabaram não pagando o valor e ameaçado a família para que nao cobrasse. “Essa é nossa principal linha investigativa. Todos os envolvidos já foram identificados e como já adiantei, se não vierem até a delegacia para dar os esclarecimentos, nós vamos atrás deles”, destacou.