Homem que matou a pedradas é condenado a 18 anos de cadeia | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Homem que matou a pedradas é condenado a 18 anos de cadeia

“A justiça finalmente foi feita, meu irmão não vai voltar, mas a justiça foi feita”. Essa foi a frase dita por Raquel ao sair do Fórum de Gravatai, logo após o julgamento do homem acusado de matar seu irmão a pedradas. O réu ao qual se refere é Cristiano Fischer, que em 2010, junto com outros dez jovens matou Luciano Lopes de Oliveira, com 39 anos na época, a pedradas. E o motivo da crueldade foi simples: Luciano não aceitou ver o grupo que estava extorquindo um idoso.

O caso aconteceu em janeiro de 2010, no Morro do Coco. Luciano, que morava no bairro, viu os 11 suspeitos, sendo destes, oito menores, tentando extorquir um idoso, Trabalhador e honesto, ele não aceitou e partiu em defesa do idoso. Passada a confusão, os agressores simularam ter ido embora do local da briga. Luciano ficou mais um tempo. Só que a boa ação de Luciano não foi bem vista pelo grupo que pertencia a gangue chamada de Caixa Baixa.

Irritados, os integrantes do bando esperaram em uma esquina, até que Luciano saisse de uma cancha de futebol para ir embora. Quando estava sozinho, a traição, atacaram ele. Sem chances de defesa, ele foi espancado e morto com pelo menos 40 tijoladas. Na tarde de ontem, Cristiano, qua está recolhido ao Presídio Central, foi a juri popular no Fórum de Gravataí. Ele acabou sendo condenado a 18 anos de cadeia pela participação no crime.

A família de Luciano compareceu a sala do juri para acompanhar o julgamento. Queriam ter certeza que a justiça seria feita. Raquel Herbe, irmã da vítima resumiu a sensação da família. Disse que eles tem certeza que nada vai trazer o irmão de volta, mas mesmo assim, a sensação de que a justiça foi feita já serve de consolo. “Sabemos que ele não vai voltar, mas pelo menos temos o consolo de que ele vai pagar pelo crime”, destacou.

Texto: Patricia Mello