Homem é preso após atirar contra policiais militares | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Homem é preso após atirar contra policiais militares

Homem é preso após atirar contra policiais militares

Um homem foi preso na madrugada de domingo depois de tentar matar policiais militares que atendiam uma ocorrência no bairro Neópolis. Depois de atirar contra os PMs, Ânderson Winkler de Fraga bem que tentou fugir, mas acabou sendo detido. A prisão dele surpreendeu até a polícia civil, pois o homem que tem uma extensa ficha criminal, tinha sido preso acusado de dois homicídios.

A tentativa de homicídio aconteceu pouco depois da meia-noite do domingo. Nesse horário, uma guarnição da Brigada Militar foi acionada para ir até a rua Paquetá, no Neópolis onde populares diziam que tinha um homem dando tiros. Quando os policiais chegaram, viram um grande tumulto, mas ninguém apontou o acusado de ter dado os tiros. Após acalmar a situação, os policiais entraram na viatura e estavam indo embora.

Não demorou muito e tiveram que retornar, pois novamente os disparos voltaram a acontecer. Quando os PMs desceram, um deles viu quem estava atirando e imediatamente mandou que ele parasse e entregasse a arma. Não foi atendido pelo homem que passou a atirar contra o policial e em seguida, correu para um matagal próximo. Os policiais seguiram o homem que acabou sendo preso e encaminhado para a DPPA.

O caso vai ser investigado pela Delegacia de Homicídios. Quando recebeu a ocorrência na manhã de segunda-feira, o chefe de investigações da DH, comissário Jair Gonçalves ficou surpreso ao ver o nome do preso. É que ele próprio havia colocado Ânderson na cadeia por crime de homicídio, enfatizando que ele responde por duas mortes. Uma delas aconteceu em outubro de 2012, quando ele, junto com outras quatro pessoas foram acusados de amarrar e executar um homem com um tiro na cabeça. A outra morte foi em dezembro de 2011, quando ele, segundo a polícia,após uma discussão em um bar, matou um desafeto a pauladas e queimou parte do corpo.

Mas, conforme a polícia o acusado ainda tem passagens por porte ilegal de arma, lesão corporal e roubo. Quando menor, teve passagens por roubo e arrombamento. “Nossa, achei que com tudo isso ele ainda estivesse preso. Estava solto”, disse o comissário surpreso.

Texto: Patricia Mello