Denarc prende homem com drogas e arma na Planaltina | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Denarc prende homem com drogas e arma na Planaltina

Denarc prende homem com drogas e arma na Planaltina

A vida no mundo do crime acabou, pelo menos por um tempo para Ederson Petroli da Silva, 23 anos. O jovem, que não tinha antecedentes, foi preso com drogas e arma na tarde de segunda-feria, no bairro Planaltina. A prisão foi feita por policiais da 4ª Delegacia de Investigações do Narcotráfico (DIN/Denarc).

Segundo o comissário Felinto, a equipe, que é comandada pelo delegado Maurício Barcelos, já estava no encalço do jovem devido a investigação de uma quadrilha suspeita de tráfico na região de Gravataí. A informação e que levou ao cumprimento de mandado de busca e apreensão dava conta de que o tráfico acontecia no beco do Campo do União e que a droga que era revendida no ponto ficava armazenada em uma casa, na rua Los Angeles.

“Chegamos até ele por estar investigando uma quadrilha. Fizemos levantamento e descobrimos que em determinados horários, o tráfico era intenso no local”, disse o comissário. Para evitar fuga ou mesmo que alguém retirasse a droga da casa, os agentes montaram, no final da tarde de segunda-feira, duas esquipes para cumprir a determinação judicial ao mesmo tempo. Enquanto uma parte realizava buscas na casa, outra dava o flagrante em Ederson.

O resultado da ação foi a apreensão de um tijolo de maconha (370 gramas), mais de 300 buchas de cocaína, 249 pedras de crack, balança de precisão, uma pistola calibre .40, munições do mesmo calibre e mais de 160 reais. “Parte do material apreendido estava com ele e outra parte estava no depósito (casa)”, revelou.

O que chamou a atenção dos agentes é que algumas munições apreendidas com o suspeito estavam revestidas com tefon, o que não é comum. O revestimento é utilizado para preservar o raiamento interno do cano da arma de fogo. “O revestimento serve para evitar que se descubra de qual arma a bala saiu, o que teoricamente vem a atrapalhar a investigação policial”, explicou.

 

Texto: Patricia Mello