Deic prende cinco em desmanche no Barnabé | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Deic prende cinco em desmanche no Barnabé

Deic prende cinco em desmanche no Barnabé

Uma denúncia anônima levou os policiais da delegacia de Furtos e Roubos de Veículos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) a descobrir uma oficina mecânica no bairro Barnabé. No local, que servia para esquentar veículos roubados, foram presas cinco pessoas e recuperados seis carros roubados. Foram presos Alvim Junior Martins dos Santos, Cledison da Silva Gomes, André Kauer, Matheus Perez Goldinho e Cristiano da Silva Vieira.

De acordo com o delegado Luciano Peringer, a equipe recebeu a denúncia de que na rua Justino Valesco, funcionava uma oficina mecânica que servia para esquentar carros roubados. A equipe então passou a monitorar o local, até que na manhã de terça-feira, os policiais conseguiram encontrar cinco veículos. Eles invadiram o local e estavam prendendo duas pessoas, dentre elas, Cledison, o dono da oficina.

Só que, por sorte da sociedade e para o azar dos bandidos, os policiais estavam usando carros discretos. E foi por isso mesmo que conseguiram prender mais três criminosos. Os três chegaram tranquilamente, em dois carros. Um deles um Focus, no qual estavam dois homens e um Vectra preto, no qual estava outro. Quem via eles chegando, pensava que estavam procurando o local para arrumar os carros, mas os tiras que não tem nada de bobo, descobriram que a história não era bem essa.

Luciano conta que na verdade, o Focus estava fazendo a escolta do Vectra, que era um veículo roubado. Quando entraram no local, foram recebidos pelos tiras e já ganharam um par de algemas “Ele (carro) já estava com a placa adulterada, o que facilitou o transporte até o local. Mas, como fizemos uma averiguação mais profunda, conseguimos ver pela numeração que ele estava em situação de roubo”, disse o delegado.

A polícia acredita que o carro pode ter sido encomendado e, como no local havia um kit comumente usado em adulteração. O material que tem inclusive produto corrosivo que serve para adulterar a numeração dos chassis, também é usado em oficinas, mas é sempre encontrado em locais de desmanche. Pelo menos é o que contou o delegado. “A gente sabe que o kit é usado em desmanches. Não somos bobos”, enfatizou.

11258893_1097466423602446_1624898079_o

Não sabe de nada

O dono da oficina não tinha passagem pela polícia e chegou a dizer para a reportagem que não sabia de nada, que o local realmente é uma oficina mecânica. “Não sei o que aconteceu, mas não sou envolvido com isso. Aqui é minha oficina. Não tem nada disso”, enfatizou.
Só que o discurso não comoveu o delegado que acostumado a prender suspeitos em locais de desmanche, tem um olhar mais profundo sobre os fatos. “É impossível que ele não saiba que em sua oficina tinham cinco carros roubados e que mais um estava sendo entregue. No mínimo tem que se responsabilizar a saber o que está recebendo em sua oficina”, ressaltou.
Investigações prosseguem

Mesmo com a prisão, as investigações de Luciano e de sua equipe, não param. A intenção é descobrir quem encomendava e para onde os carros eram levados. A oficina, que fica em uma rua de pouco movimento no bairro Barnabé, quase às margens da RS-118, não era especializada em receber apenas carros de luxo. O veículo mais caro eram uma Silveiro e o Vectra que estava chegando. Mesmo assim, o prejuízo do bando foi grande. Cerca de 200 mil. Todos foram presos e agora vão ter que se explicar para a justiça.

Texto: Patricia Mello