Robótica | Equipe de Gravataí se prepara para representar o Brasil na China | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Robótica | Equipe de Gravataí se prepara para representar o Brasil na China

Robótica | Equipe de Gravataí se prepara para representar o Brasil na China

Delegação que viajará para o exterior conta com três estudantes e dois mentores. | Fotos: Rodrigo Cassol/JG

Grupo The Brazilian Trail Blazers participará de evento no país asiático pelo quinto ano consecutivo. Embarque será na próxima quinta-feira.

Na próxima quinta-feira, cinco integrantes da equipe gravataiense The Brazilian Trail Blazers vão embarcar para a disputa da Qianjian International Robotics Open – competição de robótica que será disputada na China. Este será o quinto ano consecutivo que a equipe da Aldeia enviará representantes para o certame, que ocorrerá entre os dias 2 e 4 de agosto. De acordo com o responsável pelas áreas de Mecânica e Projetos da equipe, Matheus Quadros de Oliveira, de 22 anos, a competição tem o objetivo de difundir a imagem do trabalho de robótica educacional no país-sede das disputas. “É um evento mais específico para os chineses. Além de participar como competidores, estamos indo para a China para dar workshops antes do início oficial do Qianjian, onde vamos auxiliar as outras equipes a construírem seus próprios robôs”, explicou Oliveira.

Durante o evento, a Trail Blazers irá competir com outras 75 equipes, vindas de países como Estados Unidos, Austrália e Israel, além da própria China. Nesta edição, o objetivo do jogo é que as equipes, através de seus robôs, em uma quadra, peguem dois objetos: uma bola e um painel feito de policarbonato. De posse dos objetos, os robôs deverão levá-los até determinada parte do campo de disputa. De acordo com o site oficial da competição, o evento terá uma influência internacional mais ampla em relação ao ano passado. “A intensa e emocionante disputa deverá atrair mais de 10 mil visitantes para experimentar o charme único deste evento internacional de tecnologia”, diz o texto.

Robô da equipe vem sendo aperfeiçoado para a disputa na Ásia. Ele foi construído no início do ano, para uma competição nos EUA.

Na tarde do último sábado, o grupo que viajará à China, assim como outros integrantes, se reuniu na sede da equipe, localizada dentro do parque de lazer dos funcionários da General Motors (GM), no bairro Morada Gaúcha, para ajustar os últimos detalhes antes da competição. Há três anos no time, a estudante Yasmin Pacheco Alves, de 16 anos, fará sua estreia no evento. “Espero que a gente possa colocar em prática tudo o que aprendemos sobre robótica nos últimos anos. Nos preparamos bastante, e acredito que vamos conseguir bons resultados”, disse a aluna do colégio Osvaldo Camargo, de Cachoeirinha. Além de Yasmin, integrarão a equipe, na condição de estudantes, os jovens Guilherme Luvielmo, de 16 anos, e Vitor do Amaral, de 18. Ambos são estudantes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (IFSul), em Gravataí.

Além dos estudantes, os mentores Bruno Lourenci, de 21 anos, e Fernanda Corleta, de 20, também vão viajar ao país asiático. “Como será a primeira vez que vou viajar com a equipe, estou muito nervoso. Porém, o time está muito preparado. Acredito que vamos ter uma boa participação e que vai dar tudo certo”, resumiu Lourenci, que também é o treinador da equipe. Os recursos para a participação dos jovens vêm dos organizadores da competição, além do auxílio dos patrocinadores do grupo. O retorno da equipe está previsto para o dia 8 de agosto.

A experiência de quem já esteve lá

A jovem Nicole Ribeiro, de 22 anos, é integrante da Trail Blazer desde 2013. Segundo ela, sua viagem mais interessante foi justamente para a China, para participar da mesma competição. “Fui em 2015, quando nosso grupo estreou nesta disputa. Na época, ainda era uma competição nova, em fase de testes. Foi uma oportunidade muito legal, pois a gente teve a chance de fazer vários workshops. Ainda não tínhamos muita experiência com essa coisa de ensinar, e foi lá que a gente começou a desenvolver mais essa parte”, relatou.

Sobre os desafios que esperam a atual equipe, Nicole destacou a mudança de cultura. “Acho que eles vão ver coisas bem diferentes do que estão acostumados, por mais que já tenham viajado para outros países. Além disso, eles vão encontrar bastante dificuldade com a língua, embora o evento faça o pessoal ficar unido, com o objetivo de competir e cooperar”, contou a estudante de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

A equipe

Fundada em 2005, a Trail Blazer afirma ser o primeiro time de robótica da América do Sul a ser composto por alunos de escolas públicas. No início, os encontros do grupo aconteciam em um banheiro desativado da escola Heitor Villa Lobos, conforme relatou um dos integrantes. Ao longo de sua existência, a Trail Blazer já representou o Brasil em países como Estados Unidos, China, Canadá e Austrália. Como principais conquistas, estão os títulos da FIRST Robotics Competition (2013 e 2017) e do Chairman’s Award (2018). 

Espaço da equipe foi cedido pelo Instituto GM.

Atualmente, a equipe conta com cerca de 45 membros. Desde 2016, o time vem se reunindo aos finais de semana nas dependências da GM. “Somos um grupo de jovens que usa a ciência e a tecnologia como ferramentas para transformar a realidade de um país que não incentiva suas crianças a seguir carreiras nessas áreas”, afirma a equipe.