Pai faz exame para confirmar se corpo encontrado em Santo Antônio da Patrulha é do filho sumido | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Pai faz exame para confirmar se corpo encontrado em Santo Antônio da Patrulha é do filho sumido

Pai faz exame para confirmar se corpo encontrado em Santo Antônio da Patrulha é do filho sumido

Na tarde dessa quarta-feira, o pai de W.F.G.O., de 16 anos foi até o IML de Osório na tarde de ontem para tentar o reconhecimento de um corpo que foi localizado na terça-feira, no quilometro 14 da RS 474. A suspeita é que o corpo seja do menor, que sumiu dia 7 de fevereiro, quando saiu de Gravataí e foi para Santo Antônio da Patrulha. O menor é investigado por um estupro ocorrido lá e a polícia não descarta que o desaparecimento esteja ligado a essa investigação. O corpo foi localizado na terça-feira, abandonado as margens da rodovia. Como já estava em adiantado estado de decomposição e sem documentos, ele chamou a família para que fizesse o reconhecimento e, caso não fosse possível pelo estado em que a vítima estava, seria realizado o exame de DNA, através da coleta de sangue do pai. Pelo menos até o fechamento dessa edição, a polícia ainda não tinha repassado se o corpo foi ou não reconhecido.

De acordo com o delegado Juliano Aguiar de Carvalho, da DP de Santo Antônio da Patrulha, o jovem teria sido reconhecido por um crime de estupro ocorrido no dia 7 de janeiro, na Cohab, em Santo Antônio. Nesse mesmo dia, o jovem desapareceu. O delegado investiga para ver se o desaparecimento está ligado a esta suspeita de estupro. Independente do corpo ser do adolescente, a polícia vai investigar esse crime também. Caso seja do menor desaparecido, a polícia deixa de investigar o desaparecimento e passa a investigar quem são os assassinos. Embora a história possa vir a ter um desfecho em Santo Antônio, começou em Gravataí. pois era nessa cidade da Região Metropolitana de Porto Alegre que o menor morava. O pai, O.J.S.O., revela que o filho foi para Santo Antônio, a pedido da família, para passar uns dias na casa da irmã mais velha. A intenção era de que, além de passar as férias na outra cidade, ele conseguisse um trabalho. Só que tudo deu errado.

No sábado (dia sete), contou que o filho foi acusado de ter agarrado uma jovem quando esta ia para casa e a ter arrastado para uma casa abandonada, onde a teria violentado. Essa situação é negada pelo pai. Ainda no sábado, quando estava na casa da irmã, um carro parou na frente. dois jovens teriam gritado e chamado o menor, cobrando ele pela situação ocorrida antes. o cunhado teria mandado o menor ir para a rua, pois não queria confusão na casa dele. o adolescente, segundo o pai, foi para a rua e teria sido colocado a força dentro do carro. desde então, até a noite de quinta-feira, não deu mais notícias.

Texto: Patricia Mello