MDB abre processo para expulsão dos vereadores Clebes Mendes, Paulinho da Farmácia e Nadir Rocha | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

MDB abre processo para expulsão dos vereadores Clebes Mendes, Paulinho da Farmácia e Nadir Rocha

MDB abre processo para expulsão dos vereadores Clebes Mendes, Paulinho da Farmácia e Nadir Rocha

Vai sair cara a dupla traição dos três vereadores do MDB de Gravataí – Nadir Rocha, Clebes Mendes e Paulinho da Farmácia – que se abstiveram durante votação do parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS) que indicava parecer contrário às contas do governo de 2017. O MDB abriu processo para a expulsão dos vereadores, por “traição covarde” e infidelidade partidária, por também colocarem assessores diretos a trabalhar a favor da candidatura de Dimas Costa, com alguns chegando a gravar vídeos e posando para fotos.

Pesa contra Nadir, Clebes e Paulinho da Farmácia ainda o fato de boicotarem abertamente a decisão soberana do partido que, em convenção no dia 1º de setembro, escolheu Luiz Zaffalon como o candidato a prefeito. Segundo a direção do MDB local, é inaceitável que membros com “atitude antiética” sigam se valendo da figura institucional do partido se, para eles, a decisão de convenção não é respeitada. Nadir Rocha, Clebes Mendes e Paulinho da Farmácia defendiam a indicação de Jones Martins como candidato do governo nas próximas eleições. Com Jones derrotado, o trio seguiu articulando, agora de forma dissimulada e traiçoeira, contra a decisão da convenção.

O primeiro movimento dos três, sob ordens de Jones Martins, foi tentar negociar os votos na sessão que apreciou o parecer do TCE-RS, que inicialmente reprovava as contas de 2017 do governo. A proposta era clara: ou o partido trocava o candidato, substituindo Zaffalon por Jones Martins, burlando a convenção, ou eles manteriam o parecer do tribunal, embora sabedores de que a rejeição se dera meramente por formalidades técnicas.
No entanto, no último dia 4 de novembro, o pleno do TCE-RS reconheceu a nulidade do parecer que desaprovara as contas, ordenando a retomada do processo para regular instrução.

Chegaram a propor reunião com o prefeito Marco Alba, com a presença de Jones. Deram com a cara na porta. Revidaram e cumpriram com a ameaça, abstendo-se de votar e com isso trabalhando em favor da oposição, como se oposicionistas fossem, embora tivessem passado os últimos anos com indicações trabalhando no governo.
Frustrados por não conseguirem emplacar Jones como candidato, na campanha, se juntaram aos adversários, destacando assessores para manifestar apoio aberto, via redes sociais, ao oponente Dimas Costa.

“São dissimulados, covardes, traidores e, por isso, indignos de estarem ao lado daqueles contra os quais articulam. Não podem mais estar no partido, não têm retidão moral. Não foi só o regramento partidário que eles infringiram, mas golpearam de morte o apoio e suporte que em todos esses anos receberam do partido”, declara direção do MDB.