Inicia obra de mudança da praça de pedágio do km 77 para o km 60 | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Inicia obra de mudança da praça de pedágio do km 77 para o km 60

Inicia obra de mudança da praça de pedágio do km 77 para o km 60

Levou menos de quatro anos entre a reunião que o prefeito Marco Alba teve com representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em Brasília, no mês de dezembro de 2015, e o início das obras para a mudança da praça de pedágio do km 77 da BR-290 (Freeway) para o km 60, desobrigando os motoristas de Gravataí do pagamento da tarifa. Nesta sexta-feira, 18 de outubro, o prefeito esteve acompanhando os trabalhos de limpeza e terraplanagem. “Gravataí está encerrando 2019 com muitas conquistas a serem celebradas, entre essas a tão esperada troca do local de pedágio, uma luta de muitos anos”, comentou o prefeito.
A mobilização pela transferência da praça de pedágio se iniciou na prática e oficialmente em 2014, quando o prefeito, acompanhado do então ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e do representante do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social (Codes), Luis Pedro Ferreira, esteve junto à comitiva da ANTT, em Brasília. A previsão é de que a nova praça entre em funcionamento em agosto de 2020. “Além de beneficiar diretamente os motoristas que se deslocam para Porto Alegre, o fim da cobrança do pedágio no Km 77 torna-se um fator de incentivo para as empresas, com a redução de custos”, reforça o prefeito. Pelo novo contrato de concessão, a CCRr Via Sul irá construir duas alças de acesso à Freeway: pela Avenida Teotônio Vilela (Parque Florido, Gravataí) e outra no km 62, ligando o extremo norte urbano com a área rural do município, pela Estrada Barro Vermelho. Com isso, a Freeway será integrada ao tráfego de Gravataí, desafogando a Avenida Dorival de Oliveira. Conforme o prefeito, se trata de um conjunto de ações que vão transformar a realidade da infraestrutura da cidade, criando condições para o desenvolvimento econômico e melhores condições da malha viária urbana.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *