Até que a crise nos separe | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Até que a crise nos separe

Até que a crise nos separe

Funcionários de grandes indústrias gravataienses contam com acordos para evitar demissões. Comitê municipal é formado para revitalizar a economia do município.

 

522-600X100-EDITADA-660x330

As principais indústrias do município estão enfrentando problemas econômicos devido ao baixo volume de vendas de seus produtos. Pirelli, Dana e General Motors iniciaram o diálogo com seus funcionários para um acordo. A idéia comum entre empresários e empregados é que a situação se mantenha controlada até que esta crise consiga ser superada.

O sistema de lay off entrou em vigor na Pirelli, nesta segunda feira(11). Mais de 450 trabalhadores ficarão com o contrato suspenso por cinco meses. Após este período, o funcionário voltará a trabalhar, com estabilidade de três meses. A esperança é que a situação econômica melhore até que os trabalhadores possam voltar a bater o cartão.

A Dana também encontra problemas, e propôs a redução de 10% da jornada de trabalho e 5% do salário. Na assembléia marcada para o dia 14, os funcionários votarão se concordam com a proposta da empresa. A redução valeria por três meses.

A General Motors emitiu nota lamentando a decisão de Tegma e Transzero de paralisar a retirada de carros da fábrica de Gravataí. A montadora havia fechado acordo com todas transportadoras de veículos nas fábricas de São Caetano do Sul e São José dos Campos.

“Neste momento de dificuldades no mercado brasileiro, em que todos precisam unir esforços para superar os desafios e contribuir para a retomada da economia, nosso objetivo comum com todos os parceiros, fornecedores, transportadores e sindicato é manter a unidade operando em três turnos e esta ação unilateral vai forçar a parada da linha de produção.” Ao final do comunicado, a GM reafirmou o compromisso de continuar as negociações sobre o custo do frete e esperança de alcançar um acordo que não comprometa a competitividade dos produtos Chevrolet no mercado brasileiro.

 

Medidas para combater a crise

unnamed

Representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí (SMG), da Prefeitura e da Câmara de Vereadores do município estiveram reunidos na terça-feira (12), na sede do Executivo municipal. A iniciativa busca revitalizar a economia gravataiense, criando um comitê para evitar demissões na cidade.

De acordo com o diretor do SMG, Valcir Ascari, o encontro foi muito produtivo, resultando na criação do Comitê de Acompanhamento Permanente da Crise. Conforme Ascari, uma das primeiras ações do comitê será solicitar uma reunião com o governador, a fim de apresentar a situação difícil pela qual o município está passando. A idéia do encontro é fazer com que Sartori tenha conhecimento mais profundo do que está ocorrendo, especialmente em empresas do porte da General Motors (GM) e Dana, que acenam com desemprego de metalúrgicos.

“Demitir trabalhadores nunca é a melhor solução, pois desaquece a economia e cria um grave problema social. É preciso manter o emprego estável para fazer a economia da cidade girar”,  afirma o diretor do SMG.

Todos os participantes da reunião na prefeitura se comprometeram a conclamar o empresariado de Gravataí para debater ações que evitem demissões e afetem os indicadores de emprego e de geração de renda da cidade.

Uma Audiência Pública será realizada na próxima quinta-feira, 14 de maio, no Plenário da Câmara de Vereadores. O encontro irá tratar sobre o enfrentamento da crise econômica e luta contra o desemprego no município.