Rinha de galo e homicídio | Homem é preso em sítio de Gravataí | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Rinha de galo e homicídio | Homem é preso em sítio de Gravataí

Rinha de galo e homicídio | Homem é preso em sítio de Gravataí

Adílson dos Santos Silva, de 42 anos, é suspeito de matar um jovem de 17 anos, além de manter uma rinha de galo em seu sítio. | Foto: Polícia Civil/ Divulgação

A Delegacia de Homicídios de Gravataí prendeu em flagrante, na tarde desta terça-feira, um homem identificado como Adílson dos Santos Silva, de 42 anos, suspeito de matar o jovem Vitor da Silva, de 17 anos. Durante cumprimento de mandato de busca, realizado no sítio do suspeito, localizado na Estrada Dionísio Cardoso de Lima, no bairro Neópolis, foram encontrados 10 galos de rinha, uma arena para luta e diversos outros equipamentos para rinhas. Além disso, foi apreendida uma arma de fogo calibre .380. De acordo com a Polícia, o homem não possuía antecedentes criminais. A ação foi realizada com o apoio da Guarda Municipal e da Fundação do Meio Ambiente de Gravataí.

Segundo uma fonte da Polícia Civil, três irmãos que moravam nas proximidades do sítio no bairro Neópolis eram suspeitos de furtar galos do criminoso – que já havia ameaçado os vizinhos de morte. “No último dia 30 de março, um dos irmãos foi morto, e o homem passou a ser o principal suspeito do crime”, explicou.

Até a tarde desta quarta-feira, o homem ainda estava na sede da Delegacia de Homicídios de Gravataí aguardando por uma vaga no sistema prisional. Conforme a Polícia Civil, apenas nesta semana, 12 pessoas já foram presas no RS pela prática de crimes de homicídio. “Isso reforça o compromisso e prioridade da Polícia no combate aos crimes desta natureza em todo Estado”, diz a instituição.

O que diz a legislação

Segundo o decreto nº 50.620, de 18 de Maio de 1961, “fica proibido, em todo o território nacional, realizar ou promover brigas de galo ou quaisquer outras lutas entre animais da mesma espécie ou de espécies diferentes” e “realizar ou promover espetáculos cuja atração constitua a luta de animais de qualquer espécie”, diz o texto. O decreto prevê, ainda, que “as autoridades promoverão o imediato fechamento das rinhas de galos e de outros quaisquer locais onde se realizam espetáculos desta natureza, e cumprirão as disposições referentes à punição dos infratores, e demais medidas legais aplicáveis”.