CTG Aldeia dos Anjos | Cerca de 3 mil pessoas devem participar da Semana Farroupilha | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

CTG Aldeia dos Anjos | Cerca de 3 mil pessoas devem participar da Semana Farroupilha

CTG Aldeia dos Anjos | Cerca de 3 mil pessoas devem participar da Semana Farroupilha

Iniciada na última quinta-feira, a Semana Farroupilha do Centro de Tradições Gaúcha (CTG) Aldeia dos Anjos deve receber aproximadamente 3 mil pessoas até o dia 20 de setembro. O atual patrão do Aldeia dos Anjos, Joelson Silva, salientou que o CTG está sempre de portas abertas à comunidade. “Para nós, é a data mais importante do ano. Nós lembramos a nossa cultura e revivemos o passado. Nossa entidade trabalha sete dias e sete noites por semana. Estamos sempre com as portas abertas a todos”, comentou.

Para o patrão de honra do CTG, Valecy Cabeleira Bitelo, as festividades servem para recordar os feitos da Revolução Farroupilha. “A Semana Farroupilha é o acontecimento maior do nosso Estado. Nós rememoramos o movimento dos nossos antepassados que derramaram seu sangue em defesa da nossa terra e aumentaram as nossas fronteiras”, lembrou.

A Semana Farroupilha do CTG ainda conta com bailes, almoços e jantares. Na próxima quarta-feira, dia em que é comemorada a Revolução Farroupilha, ocorrerá o Desfile Oficial e o encerramento das festividades. O Aldeia fica na Rua Adolfo Inácio Barcelos, n° 1553, no Centro de Gravataí.

Confira a programação

18/set – Segunda-feira

Ronda Crioula – Grupos Veterano e Mirim (almoço e janta)

Tertúlia Livre

19/set – Terça-feira

Ronda Crioula – Grupo Juvenil (almoço)

Tertúlia Livre

Todos os grupos do CTG – (janta – Xixo)

Baile com Grupo Alma & Pampa

20/set – Quarta-feira

Todos os grupos do CTG – Desfile Oficial

Encerramento Oficial da Semana Farroupilha

A Revolução

A Guerra dos Farrapos ou Revolução Farroupilha foi uma das mais longas revoltas do Brasil. Iniciada em 20 de setembro de 1835, o movimento começou em protesto aos altos impostos cobrados no charque, no sal e em outros produtos da região Sul, e queria a independência em relação ao governo central. O movimento resultou na declaração de independência, dando origem à República Rio-Grandense. A Guerra terminou em 1845.