Escola Idelcy Silveira tem a melhor nota na educação básica de Gravataí | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Escola Idelcy Silveira tem a melhor nota na educação básica de Gravataí

Escola Idelcy Silveira tem a melhor nota na educação básica de Gravataí

Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) da instituição alcançou 7,1, acima do patamar de ensino dos países desenvolvidos, com nota 6; Média do município é de 5,7

O empenho de profissionais da rede municipal de ensino junto ao investimento do governo na área da educação, que em 2019 foi de aproximadamente R$ 235 milhões, trouxe números positivos para Gravataí no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) referente ao último ano. Como exemplo disso, a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Professora Idelcy Silveira Pereira obteve a maior nota da cidade, com 7,1, acima do patamar de ensino dos países desenvolvidos, com 6. A nota do município vem crescendo desde o início atual gestão, ficando com 5,7.

De acordo com a diretora da escola Idelcy, Noris Quevedo, o resultado do Ideb é uma consequência de um trabalho sério firmado no desenvolvimento de competências técnicas pedagógicas do corpo técnico e docente da escola. “Nossa Emef é focada no desenvolvimento do aluno, ele é o centro de todas as ações desenvolvidas”, pondera Noris.

Ela ressalta que pensar em uma escola perpassa por muitos caminhos, como a recepção de alunos e famílias, o apoio aos profissionais, a organização e higienização do espaço físico, entre outros fatores.

Além do mecanismo de gestão, há a sala de aula: o cerne do processo educacional. Para Noris, é nela onde é possível observar as necessidades dos alunos e construir um planejamento que atenda a todos.

“Nossos professores se deparam com diversos processos dentro da sala, haja vista que os alunos trabalham de forma comunitária, mas são diferentes entre si. Não podemos esquecer de que há tempos de aprendizagem diferentes e ações específicas para otimizar o ensino de cada discente”, salienta.

Dessa forma, o processo de inclusão de estudantes com necessidades educacionais especiais amplia o olhar da equipe docente para as diferenças. “É uma questão essencial quando tratamos dos alunos que fazem parte Atendimento Educacional Especializado (AEE). O olhar pedagógico deve ser sensibilizado”, completa a diretora.

Cooperatividade e estratégia

Junto à Prefeitura de Gravataí, por meio da Secretaria Municipal da Educação (Smed), a Escola Idelcy conseguiu unificar o currículo e investir na formação continuada dos professores. Segundo Magda Ely, diretora pedagógica da Smed, a pasta intensificou as assessorias pedagógicas e discutiu os dados parciais trimestrais, sendo um dos aspectos que resultaram no maior Ideb da cidade.

Magda relembra da trajetória da Escola Idelcy desde 2015, ano em que a unidade optou pelo Sistema de Ensino Aprende Brasil, da Editora Positivo. O sistema reúne livros didáticos integrados, plataforma de aprendizagem e sistemas de avaliação e gestão.

“São aspetos que fazem toda a diferença no processo de aprendizagem, além da demonstração exemplar do comprometimento e da capacidade da equipe diretiva, dos professores, dos alunos e dos pais. É isso que possibilita uma educação básica de referência”, frisa.

O Ideb

Criado em 2007, pelo Inep, o Índice é formulado para medir a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer metas para a melhoria do ensino. O cálculo é feito a partir de dois elementos:

1 – Taxa de rendimento escolar (aprovação/reprovação, distorção idade/série);

2 – Médias de desempenho nos exames aplicados pelo Inep (Avaliações do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb)).

As metas estabelecidas pelo Ideb são diferenciadas para cada escola e rede de ensino, com o objetivo de alcançar 6 pontos até 2022, média correspondente ao sistema educacional dos países desenvolvidos.