Vida – só para depois do Carnaval | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Vida – só para depois do Carnaval

por Carlos Panni

É comum ouvir-se dizer que o ano começa depois do carnaval. Este hábito, já aculturado no País, certamente traz inegáveis prejuízos para as pessoas, para a sociedade e para o País.

Mas não é exatamente este hábito que importa. Preocupante é o costume bastante comum de algumas pessoas deixarem tudo para depois. É o desempregado que deixa para procurar novo trabalho depois que terminar o seguro desemprego, o aluno que espera chegar ao fim do ensino médio para se preocupar com o vestibular, os pais que esperam passar a infância para pensar em educar o filho, o trabalhador que projeta para a aposentadoria começar, enfim, a viver…

O desempregado terá grande dificuldade para conseguir novo emprego, o estudante não terá condições de se preparar, de véspera, para enfrentar o crivo do vestibular, os pais não mais terão oportunidade para resgatar a educação do filho e o trabalhador não alcançará o gozo da vida só porque se aposentou.

As realizações que se conquistam na vida não são fruto de um ato isolado, mas de um processo. Assim é o sucesso profissional, a realização no casamento, a efetiva educação dos filhos… tudo segue uma metodologia que não pode ser deixada para depois, até porque o depois não existe. Existirá, talvez.    

“Quem sabe faz a hora, não espera acontecer…”

Quem deixa para depois, acaba deixando novamente para depois e depois… Quantos estão sempre cheios de planos para serem realizados depois de… Quando se cansam de um projeto, passam para outro, cheias de novo entusiasmo para realizar – depois…

Se você tem um sonho, um objetivo, uma missão, um ideal… não caia na armadilha de colocá-lo no limbo do tempo indeterminado, que a tudo consome e dispersa. O que não tem prazo, não tem um parâmetro de tempo para se realizar… dificilmente se realizará. Se um determinado objetivo lhe vem à mente é porque você está sendo convidado a realizá-lo (torná-lo real) e não apenas perder-se em indefinições e, a pior delas, deixar para depois e mais depois…

Se você tem algo a realizar, mão na caneta e defina a data. Já é um bom começo. Mas se está deixando alguma coisa para iniciar depois do carnaval, não esqueça, ele já acabou!

Então, mãos à obra, a hora é agora!

 

“Mais vale uma boa idéia posta em prática

que mil excelentes idéias trancadas na gaveta

ou perdidas na indefinição do tempo!”