Sexo & Terceira Idade – Parte I | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Sexo & Terceira Idade – Parte I

Sexo & Terceira Idade – Parte I

A partir desta matéria, falaremos sobre mudanças de vida, hábitos, comportamento, sexualidade entre outras coisas que ocorrem com a chegada da terceira idade. Vamos falar de saúde, virilidade, libido, hormônios, formas e maneiras de proporcionar prazer, novidades e sugestões para termos uma rotina sexual ativa e prazerosa, neste período único e maravilhoso para muitas pessoas.

Estatísticas comprovam que o sexo está presente  cada vez mais na rotina das pessoas com  mais de 60 anos. Primeiro porque prazer não está ligado somente ao coito, trocas de carícias, afagos, demonstrações de carinho, intimidade entre o casal, formam um conjunto de valores para que a libido desperte nas pessoas que não estão sexualmente ativas, novas sensações em relação a sua sexualidade.

A décadas atrás não se falava sobre sexo, era um assunto proibido, poucas pessoas buscavam informações a respeito, fazia-se como achava que era correto e na grande maioria dos casos apenas pela obrigação ou com o intuito de constituir uma família.

Vamos parar e pensar um pouco nas mudanças que acontecerem na sexualidade humana dos últimos 50 anos. Primeiro passamos a ver o sexo como uma de fonte de prazer, descobrimos que nosso corpo pode nos proporcionar sensações maravilhosas e que nossos sentidos estão sim, todos interligados. Tudo que envolve este momento mágico tem seu valor e para os que estão se aproximando ou já estão na fase madura tudo tem um sabor diferente, um ritmo diferente, mas nem por isso é menos válido. Fantasias sexuais, imaginação, desejos nos acompanham por toda vida e ao contrário do que se pensa, os mais idosos também as tem.

Mas relembrando, a partir do ano 1998,  passamos a ter uma mudança radical na rotina sexual dos homens maduros, com o surgimento da famosa “pílula azul”, novas possibilidades de prazer e descobertas, passaram a fazer parte da vida de casais que já nem pensavam em sexo, renovando a virilidade de muitos homens que se achavam incapazes de proporcionar prazer a parceira, em contra partida, muitas mulheres não estavam preparadas para uma frequência sexual e passaram a ter alguns problemas em relação a lubrificação e incômodos durante o ato sexual. Mas também teve o outro lado, mulheres que nunca tinham tido um orgasmo e nem sabiam do que se tratava, descobriram com seus parceiros sensações nunca antes sentidas. A cumplicidade e a entrega passou a ser mais evidente, salvando assim muitos casamentos.

A comunicação entre o casal é fundamental para que ambos possam esclarecer suas duvidas e entrar em um acordo de importâncias e opiniões.

Na próxima matéria falaremos sobre saúde, virilidade, desejo sexual.