Para se Distrair | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Para se Distrair

Para se Distrair

Ironias da vida

Dois filmes que retratam a vida. Um de uma forma mais seria, pensativa e elaborada. O outro de forma mais cômica e cotidiana. Um fará pensar, o outro distrair.

 

Regras da vida

Regras da Vida

Título original: The Cide House Rules

Duração: 1h32

Gênero: drama

Dirigido por: Lasse Hallster

Sabe aqueles filmes que tu se insere? Se vê no personagem e vive seus conflitos? É esse. “Quer eu acabe me tornando o herói da minha vida, quer outra pessoa assuma o comando, estas páginas devem florescer’’ – De David Copperfield inspirado em Charles Dickens, citado no filme por Homer Wells. Baseado no aclamado romance de John Irving, “The Cider House Rules’’ é um conto que retrata a trajetória pessoal de Homer e do dr. Larch. Repleto de drama e humor, “Regras da Vida’’ é uma história de amor, família e honra. Ao entender a conexão entre seu futuro e seu passado, Homer Wells descobre e aceita seu verdadeiro destino. A descrição do livro, com suas idiossincrasias, prosa contundente e personagens memoráveis, provocou uma impressão profunda no produtor Richard Gladstein e ele estava determinado a levá-lo ao cinema. “Os relacionamentos e as questões de Regras da Vida, as escolhas que precisam ser feitas e a humanidade que permeia o livro me intrigaram. O mundo em que os personagens vivem, a ideia da família, lidando com quem sua família realmente é, as responsabilidades e consequências do amor e da amizade, questões raciais, aborto. Todos esses são temas fascinantes. A forma como a história é contada, de um jeito dickensiano, também me cativou”, conta Gladstein. Ele acrescenta que embora a história seja ambientada nos entre os anos 30 e 40, os dilemas que os personagens enfrentam são universais, contemporâneos e relevantes. O filme é sobre as escolhas que fazemos ao longo da vida, as regras que adotamos e como elas nos afetam e aqueles que estão à volta. A sorte é lançada, os heróis emergem e a carga emocional do livro felizmente faz do filme uma obra atraente e pungente. É uma história envolvente do princípio ao fim.”, diz Gladstein. Toda sua jornada faz com que ele cresça e passe a entender determinadas coisas da vida de forma muito mais clara e responsável.

 
Louco por elas

Louco por Elas

Título original: The guy thinks

Duração: 1h24

Gênero: comédia romântica

Dirigido por: Chris Koch
Karen (Selma Blair) e Paul (Jason Lee) estão prestes a casar. No entanto, após sua despedida de solteiro, Paul acorda ao lado de Becky (Julia Stiles), uma dançarina da festa. Supondo que eles dormiram juntos, Paul coloca Becky para fora de seu apartamento e espera nunca mais vê-la novamente. Ele tenta esconder o que aconteceu. Infelizmente, Becky inesperadamente aparece em torno da cidade. Becky e Paul se encontram novamente para roubar as fotos do apartamento de Ray (Lochlyn Munro), pois ele bateu uma foto deles dois juntos. Mas a relação de profundidade, de identificação e simpática do telespectador acontece justamente com Becky e não Karen, a noiva oficial. O filme não foge muito das ideias normais de comédias românticas, o que eu achei interessante primeiramente foi a escolha do protagonista. Jason Lee não é exatamente a personificação de um príncipe comum em outras histórias. A liberdade que ele passa a experimentar, a imaginação (ele sempre imagina como seriam as cenas se falasse a verdade antes de responder) são pontos interessantes da trama. Vale a pena para rir um pouco e se distrair.