Coluna: Comprar ou adotar animais? | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Coluna: Comprar ou adotar animais?

Coluna: Comprar ou adotar animais?

A população nacional se viu estarrecida essa semana com o roubo violento de cães apreendidos de um canil clandestino onde 150 animais estavam em condições de maus tratos comprovados e laudados, e com a prisão do chefe da quadrilha.

Não é de hoje que se trava uma guerra entre protetores e criadores de animais, porque infelizmente ainda não há lei que proíba o comércio de animais, mas a luta é que se coíba essa prática ou pelo menos tenha fiscalização efetiva. O motivo é amplamente divulgado: as condições precárias em que as matrizes se encontram, as crias cio após cio, estupro forçado entre outras crueldades. A venda nunca é no local onde os bichos sofrem, e sim em pets , agropecuárias que “encomendam” os animais ou em outro local.

Mesmo canis legalizados, toda a forma de comércio de vidas deveria ser repudiada por questões morais e éticas. É triste tratar vidas como mercadorias. Muitos deles rejeitam alguns filhotinhos recém-nascidos em prol de manter o padrão da raça, colocando-os no lixo ou deixam atirados para morrer.
Ocorre é que os protetores são vistos como pessoas que abraçam a causa animal porque não tem mais o que fazer. Também há os ditos protetores que são coniventes com essa prática.

O fato é que se existe protetor de verdade, é por que há maus tratos, simples assim. Sejam perdidos, fruto de outros bichos que moram nas ruas ou desprezados por seus antigos donos, os bichinhos abandonados jamais perdem a esperança de encontrar um lar e uma família para chamar de sua.

Como é gratificante ver um animal vítima de maus tratos ou abandono desabrochar depois de uma adoção. Além de ser um ato humanitário, a adoção traz um sentimento de felicidade indescritível.

Adotando, você estará dando um belo exemplo para seus filhos e amigos, incentivando-os a ver o animal como um ser vivo com sentimentos que merece carinho e respeito, e não como um objeto descartável de consumo. Não financie a tortura de animais indefesos por achar uma raça bonitinha. Adotar é sempre tudo de bom!