Trânsito: uma guerra sem fim | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Trânsito: uma guerra sem fim

Trânsito: uma guerra sem fim

por Dijair Brilhantes

Não importa se a cidade é grande ou pequena, se é capital ou região metropolitana, pedestres e motoristas travam uma verdadeira guerra nas vias. Um pequeno espaço pintado com linhas brancas, que já foi capa do álbum Abbey Road, dos Beatles. A faixa de pedestre é disputada por carros e pedestres nas ruas das cidades como se aquele momento fosse único.

A pergunta que fica: existe um inocente nessa guerra? Bastam alguns minutos observando para se comprovar que nesse ponto o desentendimento não tem limites. O resultado pode ser uma palavra mais áspera, uma corrida desajeitada, suspiros de impaciência ou algo bem mais grave, acidentes envolvendo pedestres, motociclistas, coletivos, carros de passeio e caminhões, ninguém escapa dos ferimentos e muitas vezes a perda da vida. O cidadão que atravessa a rua com a sinaleira de pedestre no vermelho deveria ser punido? Segundo a agente de trânsito Luciana Hauschild, existe no Código de Trânsito Brasileiro um artigo que fala em punição para pedestre, mas ainda não foi regulamentado. Na semana passada, dois acidentes na Avenida Flores da Cunha envolvendo pedestres levantaram a discussão, esta guerra terá fim?

O local de travessia de pedestre deve ser na faixa de segurança, embora muitas pessoas ainda pensem que não faz diferença; para que haja redução nos acidentes, pedestres e motoristas devem ter consciência

O local de travessia de pedestre deve ser na faixa de segurança, embora muitas pessoas ainda pensem que não faz diferença; para que haja redução nos acidentes, pedestres e motoristas devem ter consciência

Opiniões semelhantes

Pedestres e motoristas tem opiniões semelhantes, o que nem sempre funciona na prática. Para o morador de Cachoeirinha Jefferson Vissotto, é possível dirigir e respeitar o pedestre, mas ele diz que às vezes o que torna impossível a parada é o fato de os carros andarem muito próximos. “Trafegando em uma velocidade média de 40km/h, não precisa mais que isso, tu avista uma faixa de segurança e consegue parar nela, sendo que a menos de 5 metros atrás do teu carro já tem outro veículo grudado em você? Não né, eu paro sim, mas quando não corro risco de causar acidentes”.

Clenio Oliveira diz ter muito cuidado como pedestre, pois para ele poucos minutos não fazem diferença. “Como pedestre sempre caminho um pouco mais e atravesso só na faixa de segurança, minha vida não pode ser colocada em risco por alguns segundos de atraso, se cada um cuidar de suas tarefas, ainda tem jeito”.

Campanhas

Conforme a Agente de Trânsito Luciana, as campanhas de conscientização tem surtido efeito com os moradores de Cachoeirinha, o problema são os motoristas de outras cidades que trafegam pelas ruas do município. “As campanhas funcionam em Cachoeirinha mais para os pedestres que para condutores que não são do município, pois muitos pedestres aguardam o momento correto de atravessar. A última morte com criança em Cachoeirinha foi em 2008”, ressalta Luciana. A agente ainda lembra que o número da frota cresceu muito, ao contrário dos acidentes. “A rota de veículos aumentou cerca de 50% de 2008 a 2014, o que ocorre em Cachoeirinha é que cerca de 70% dos motoristas não são da cidade, o que dificulta as campanhas a atingirem estes condutores, então se usa a fiscalização para coibir e proteger vida”, diz Luciana, que é agente de trânsito há 16 anos e trabalha na Educação de Trânsito da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana.

Segundo a educadora de trânsito, hoje o município conta com diversas campanhas para conscientizar motoristas, pedestres, e principalmente crianças e idosos. “Realizamos palestras com o tema e uma intervenção teatral com a Dona Joaninha. As palestras já foram realizadas com as empresas Transcal, Stadtbus, Taxistas e idosos”, explica Luciana.

Para a guerra no trânsito ter fim, parece que a única saída é realmente a conscientização, da população, seja ela atrás do volante do lado de fora dos veículos.

 

Recomendações

Aos pedestres:

– Atravessar somente nas faixas para pedestres;

– Não tenha pressa. Aguarde até que o semáforo fique vermelho para os veículos;

– Observe se o foco de pedestre está verde;

– Certifique-se de que todos os veículos estejam parados, e só então atravesse com segurança.

– Evite a travessia no meio de quadras, atravessando somente nas faixas demarcadas para pedestres.

Aos condutores:

– Espere que os pedestres concluam a travessia, mesmo que o semáforo fique verde para os veículos;

– O condutor deve ficar atento, pois mesmo em locais onde não haja faixa de travessia para pedestres, estes poderão tentar a travessia.

– Obedeça a sinalização instalada, com ênfase no limite de velocidade de 40Km/h