Tradicionalismo | CTGs da região se preparam para o Enart | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Tradicionalismo | CTGs da região se preparam para o Enart

Tradicionalismo | CTGs da região se preparam para o Enart

Aldeia ensaiou no último sábado, em Gravataí. | Foto: Rodrigo Cassol/JG

Aldeia dos Anjos espera retomar hegemonia, enquanto Rancho da Saudade quer se manter no topo do principal festival de arte do Estado.

Maior vencedor da principal categoria do Encontro de Artes e Tradição Gaúcha (Enart), o CTG Aldeia dos Anjos, de Gravataí, busca em 2019 retomar a hegemonia do festival – que a equipe não conquista desde 2015. Para isso, o grupo adulto de dança do Aldeia se reúne desde o mês de junho aos sábados e domingos para ensaiar as coreografias que serão apresentadas na final do evento, marcada para os dias 15, 16 e 17 de novembro, em Santa Cruz do Sul.

“Nossa preparação vem desde o início do ano, quando a gente começa a retomar as danças e a refazer as coreografias que já existiam para eventos menores que ocorrem ao longo do ano. Nosso objetivo é não deixar o trabalho cair, pois a dança é continuidade. Por isso, vamos ajustando, de um ano para o outro, o nosso material humano”, disse no último sábado o diretor do grupo adulto de dança, Marco Avila, durante ensaio do grupo, na sede do CTG.

De acordo com Avila, neste ano o regulamento da competição prevê que cada equipe leve ao palco entre 8 e 12 casais no momento da apresentação. “Apesar disso, cada CTG tem a liberdade de ter o número de bailarinos que quiser. Neste ano, vamos levar 18 ou 19 casais, para que haja revezamento”, disse o diretor. Conforme ele, em 2019 o Enart terá 19 danças. “Além de trabalhar em cima dessas coreografias, ainda temos duas danças próprias, de apresentação”, explicou.

No ano passado, o Aldeia dos Anjos terminou a categoria Danças Tradicionais Força A na terceira posição. Como os cinco primeiros colocados já têm vaga garantida na final do ano seguinte, o CTG não precisará competir na etapa regional, marcada para outubro, em Sapiranga. Além de ser o maior campeão do festival, com onze títulos, o Aldeia é também o grupo que mais vezes ficou na segunda posição, contabilizando oito vice-campeonatos.

A frente do grupo de dança desde 1994, Marco Avila disse que, para vencer o Enart novamente, o Aldeia precisa se superar. “O festival tem uma importância histórica para nós porque somos o grupo que mais participou de edições do estadual ao longo dos anos. Nossa expectativa é sempre a mais positiva possível, entrando para ser campeão. Para isso, temos que fazer mais do que a gente já fez. É nisso que a gente se baliza”, contou o professor.

Em outubro, o grupo deverá intensificar ainda mais os ensaios visando a competição. Além dos finais de semana, os dançarinos deverão se reunir semanalmente em outra data. Estreante na equipe de dança, o advogado Marcelo da Rosa, morador de Canoas, está em busca do título. “A expectativa é a melhor possível, pois estou fazendo parte de um grupo multicampeão”, lembrou. Ao todo, o CTG conta com dançarinos vindos de cidades como Porto Alegre, Sapucaia do Sul e Portão, entre outros municípios.

Rancho da Saudade quer se manter no topo

CTG é o atual campeão da competição. | Foto: Estampa da Tradição/Divulgação

Atual campeão do Enart, o CTG Rancho da Saudade, de Cachoeirinha, está em busca de seu sétimo título na competição. Segundo maior vencedor do festival, o grupo está intensificando os trabalhos visando a disputa em novembro. “Os ensaios passam a ser muito frequentes a partir de agora, com dois ou três encontros por semana. Nosso grupo se renovou muito do ano passado pra cá, mas a performance é sempre a mesma”, disse neste domingo o patrão do Rancho da Saudade, Tauner Machado. 

De acordo com ele, o CTG tentará o bicampeonato. “O grupo está muito motivado. Iremos ao Enart para fazer uma boa apresentação, embora haja outros grupos fortes na competição”, finalizou Machado. Além de vencer o Enart no ano passado, o CTG foi campeão da categoria Danças Tradicionais do Juvenart 2019, destinado aos jovens tradicionalistas.

O festival

Promovido pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) desde 1986, o Enart foi realizado na cidade de Farroupilha até 1996 – ainda sob o nome de Fegart. A partir de 1997, o festival foi transferido para Santa Cruz do Sul, passando a ser chamado de Enart somente em 1999. De acordo com o MTG, o Encontro é considerado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como o maior evento amador de arte da América Latina.