Som Meio Vinil | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Som Meio Vinil

Som Meio Vinil

– Hey! Acabou a cerveja, e agora?

Seria trágico se não fosse cômico, mas essa frase acabou se tornando a mais engraçada forma de quatro caras se encontrarem para formar uma banda. Tudo aconteceu quando os primos Sanntiago A. e Alessandro Paim pediram a saideira ao dono do bar, que acabaram sendo mais umas duas ou três cervejas. O destino fez questão de juntar também Alan Camargo e Grei Silvano, lembrando que todos já tinham projetos paralelos. Além da afinidade pela cerveja e pelo mesmo bar, os primos formaram a Meio Vinil, que é composta por: Sanntiago A. (Voz e Guitarra), Alessandro Paim (Guitarra), Alan Camargo (Baixo) e Grei Silvano (Bateria).

O nome da banda vem do próprio estilo do som que fazem, juntando o novo com o antigo então podem dizer que o som é meio vinil, meio CD, meio mp3 “e o que mais a imaginação permitir”, ressalta Sanntiago A.

De lá para cá, com menos de um ano de banda, o grupo tem um tipo de som que tem base fincada no bom e velho Rock’n Roll, Folk e uma pitada deliciosamente exagerada do psicodelismo de Pink Floyd, Velvet Underground, Flaming Lips, Portugal The Man e a pegada de bandas punks como Ramones, The Clash, The Smiths, dentre outras bandas, além da proximidade inevitável da querida Jovem Guarda, influência dos pais. “Parece estranho, mas unir a densidade do Rock com a energia e a obscuridade do psicodelismo, apesar de não pensado, é nitroglicerina pura”, destaca o vocalista. Fato comprovado pelos shows de pré-estreia da banda e outros shows pela cidade, onde no palco troca muita energia com o público.

A Meio Vinil não quer parar, planejam lançar em breve o primeiro single “Latência” e estão focados na gravação deste trabalho, que traz aquela primeira impressão positiva da banda, a faixa de trabalho (ou de diversão), como uma promessa já cumprida ao cenário underground da “Grande POA”. Uma confissão de amor envolvida pela nostalgia e pelo novo, refrão arenoso, denso e eletrizante; letra simples, porém cheia de sentimento, que diz: “Mostrar tudo que sei numa tarde, mastigar lentamente a dúvida…”. A música traz uma miscelânea de sensações e indefinições musicais “Você pensa que vai ouvir mais uma banda qualquer e acaba envolvido pelo Punk Rock do The Clash. Muito louco!”, diz Joice, uma das fãs mais presentes da banda.

“Convidamos todos a conhecerem nossa página (facebook.com/bandameiovinil), pois como diz a letra de uma das canções: ‘Alegria é o que há…’,conclui Sanntiago A.

Contato:
Tel: 51 91316354

Email: emeiovinil@gmail.com