Samu garante que não houve omissão de socorro | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Samu garante que não houve omissão de socorro

Samu garante que não houve omissão de socorro

Em matéria veiculada na quinta-feira, 23, edição 621 do jornal Correio de Cachoeirinha, Quelen Coelho conta o drama que passou. Na noite de terça-feira, 21, os melhores amigos – considerados como a família de Edgar Kaiser, 83 anos, ligaram para o 192, solicitando uma ambulância para o idoso. Luiz Coelho foi quem fez a ligação e, segundo a filha Quelen, lhe foi informado que Cachoeirinha não tinha ambulância disponível e que este atendente solicitaria ajuda dos bombeiros.

Ela conta ainda que uma hora depois o Samu entrou em contato com a família para ver se ainda precisavam de atendimento, mas infelizmente Edgar já tinha falecido. “Eu falei que não. Que por omissão de socorro a pessoa havia falecido. Perguntei onde estavam os bombeiros, e a atendente disse que eles nunca chamam os bombeiros, pois a corporação de Cachoeirinha só tem um caminhão e não seria possível. E por fim disse que anotaria o óbito”, contou Quelen.

Indignada, Quelen divulgou a história nas redes sociais, com o intuito de cobrar uma ação mais efetiva da Saúde de Cachoeirinha. “A revolta que temos é muito grande! Um morador de Cachoeirinha há mais de 50 anos, pagador de impostos, ser negligenciado assim. Esta não foi a primeira vez que o Edgar necessitou do Samu e não vieram. Em abril ele desmaiou e eu mesma liguei, e depois de falar com duas atendentes e uma médica, fui informada de que Cachoeirinha só tinha uma ambulância do Samu e a mesma estava estragada”, completou. “Esta é uma legítima terra de ninguém”, concluiu.

Edgar Kaiser, de 83 anos, passou mal na terça-feira, 21; o casal de amigos que era vizinho do idoso e cuidava dele chamou a ambulância da Samu e não recebeu atendimento; Edgar acabou falecendo na noite de terça

Edgar Kaiser, de 83 anos, passou mal na terça-feira, 21; o casal de amigos que era vizinho do idoso e cuidava dele chamou a ambulância da Samu e não recebeu atendimento; Edgar acabou falecendo na noite de terça

Sem chamadas

O diretor do Posto 24h, onde fica a ambulância da Samu, Luis Carlos Boric, afirmou que eles não receberam nenhum chamado da Samu. “O pedido ficou na regulação, não nos foi passado. Eu estou aqui com os horários e os chamados que tivemos na terça, e todos os que tivemos foram atendidos”, garantiu.

O diretor completa que nem mesmo essa ambulância própria do posto recebeu chamado da regulamentação da Samu. “Quando a ambulância do Samu está em atendimento, eles entram em contato comigo ou com a enfermeira de plantão e solicitam nossa ajuda com a outra ambulância. Mas não recebemos esse chamado”, reiterou.

Explicações

A Central de Regulação do Serviço Móvel de Urgência (Samu) enviou uma nota ao jornal Correio de Cachoeirinha informando que registrou uma chamada, através do 192, de familiares de Edgar Kaiser, na terça-feira, às 22h. “Naquele momento, a ambulância que pertence ao município estava em atendimento. Em função disso, o médico regulador do Samu solicitou o apoio da Central do município de Cachoeirinha, mas foi impossível deslocar a ambulância de resgate, pois a mesma também estava atendendo à outra ocorrência”, diz a nota.

De acordo com a Central ,  23 minutos após a primeira chamada telefônica , o atendente entrou em contato com os familiares para avisar que a ambulância do Samu seria enviada para o endereço de Edgar, momento em que foi informado do óbito do paciente.

A Secretaria Estadual da Saúde informa que, segundo os dados do sistema informatizado do SAMU, cerca de 90% das chamadas acionadas a partir do município de Cachoeirinha são prontamente atendidas. No período de janeiro de 2014 a março de 2015, foram registradas mais de 8,4 mil solicitações. Somente neste mês de julho, foram 271 chamados, dos quais 250 resultaram no envio imediato da ambulância ao local solicitado.