Quase dois meses depois da tragédia na Vila Navegantes, a dor persiste | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Quase dois meses depois da tragédia na Vila Navegantes, a dor persiste

Quase dois meses depois da tragédia na Vila Navegantes, a dor persiste

por Dijair Brilhantes

Passados quase dois meses do incêndio ocorrido na Vila Navegantes, a família tenta superar o trauma da morte das três crianças. Michele Bitencourt, a filha mais velha de Roseli Melo, diz tentar não pensar na tragédia da noite de 27 de novembro. “Tento não pensar naquela noite, embora seja bem difícil, pois tudo ainda é muito recente”, diz a irmã mais velha de João Victor de Melo, 4 anos, Moisés Melo Mendes, de 7 anos, e Carla Vitória Melo Maia, de 8 anos de idade, mortos no incêndio.

Michele esta grávida de sete meses, o sexo do bebê ainda é desconhecido. A gestação é uma das válvulas de escape que a jovem de 18 anos encontrou para tentar superar a dor da perda dos irmãos.

A mãe, Roseli Melo, que ficou gravemente ferida durante o incêndio permanece internada no Hospital Cristo Redentor e, segundo a filha, ela deverá ter alta nos próximos dias.

De acordo com Michele, a mãe está lúcida e lembra de tudo que ocorreu durante a  fatídica noite de novembro. “Ela está se recuperando, mas não gosta de falar sobre o assunto”.

Roseli está com dificuldade para falar devido as danificações sofridas nas cordas vocais durante o incêndio, ela precisa do auxílio de um aparelho. Roseli tem perdas de memória, por vezes não lembra do que aconteceu, isso se dá devido ao trauma do incêndio. “Tem vezes que ela não lembra de nada, nem onde ela está, o médico disse que isso é normal nesses casos”, lamenta a filha.

Roseli irá mudar de casa após alta

Após receber alto do hospital, Roseli irá morar com um dos filhos na cidade de Taquara. O terreno onde ocorreu o incêndio será posto a venda, pela proprietária. “Ela não quer voltar morar no local devido as más recordações”, contou a filha. Ao contrário da mãe, Michele irá continuar morando no bairro, ela divide a casa com os sogros, onde já residia no dia da tragédia.

Relembre o caso

Na noite de 27 de novembro, um incêndio matou três crianças em Cachoeirinha. O fogo começou por volta 23h30 e se alastrou pela casa de madeira onde a família morava, na Vila Navegantes, e só foi controlado durante a madrugada do dia 28. A tragédia vitimou João Victor de Melo, 4 anos, Moisés Melo Mendes, de 7 anos, e Carla Vitória Melo Maia, de 8 anos de idade.

Os bombeiros creditam que o incêndio teria sido provocado por uma vela. A mãe das crianças, Roseli Melo, de 37 anos, ficou gravemente ferida e foi levada para o Hospital Cristo Redentor, na Zona Norte de Porto Alegre, onde permanece internada até hoje em estado regular.