Já é hora de vacinar | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Já é hora de vacinar

Já é hora de vacinar

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe começa só na próxima semana no restante do país, mas no Rio Grande do Sul iniciou ontem, 27. O objetivo da antecipação da Campanha é de vacinar a população antes que ocorram as quedas de temperatura.

A meta do Estado é imunizar 80% das cerca de 3,5 milhões de pessoas que fazem parte dos seguintes grupos: com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, crianças na faixa etária de seis meses a menores de 5 anos de idade, gestantes, puérperas (mães de recém-nascidos com até 45 dias), portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas especiais, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. A definição da população alvo leva em conta os grupos que têm maior risco de desenvolver complicações decorrentes da Influenza. No ano passado, 80% dos óbitos causados pelo vírus da gripe foram entre pessoas que estavam nos grupos prioritários, mas não se vacinaram.

O apelo da Secretaria de Saúde é que as pessoas que fazem parte desses grupos compareçam às 1,8 mil Unidades Básicas de Saúde (UBS) na primeira e segunda semanas de vacinação. “A antecipação da campanha era uma necessidade do Estado, considerando a particularidade do nosso clima. Agora, é importante que a população faça a sua parte”, disse o secretário Gabbardo.

A campanha seguirá até 22 de maio. Para o dia 9 de maio, está marcado o Dia D, quando os postos de vacinação estarão abertos no fim de semana. A vacina protege contra três tipos do vírus Influenza, causador da gripe A (H1N1), A (H3N2) e B. Neste ano, foram registrados, até o momento, dois casos de Influenza no Estado – em Canoas e Santa Cruz do Sul. Em 2014, o RS registrou 189 casos confirmados, dos quais 25 vieram a óbito. Em relação ao ano anterior, houve queda de 66% nos números de ocorrências e de óbitos – já que, em 2013, foram 563 casos, com 73 mortes.

Em Cachoeirinha

De acordo com Tatiane Tavares, coordenadora de Vacinas do município, o total de pessoas que integra a população alvo em Cachoeirinha é de 34.649. São 238 puérperas (mães de recém-nascidos com até 45 dias), 2.898 crianças de seis meses a dois anos, 4.485 crianças de 2 a 4 anos, 1.863 trabalhadores da saúde, 1.449 gestantes, 12.945 idosos e 10.771 comorbidades. Essa estimativa foi feita pelo Ministério da Saúde.

“Já estão sendo feitas as campanhas de divulgação em todas as unidades de saúde de Cachoeirinha”, completa Tatiane.

Clínica Particular

Patrícia Panni, da Clínica de Vacinas Panni, explica que a vacina fornecida na rede pública é a trivalente. Ela contém 2 cepas do vírus A (H1N1) e 1 cepa do vírus B. Já na clínica particular, a vacina oferecida é a quadrivalente – que contém além das cepas anteriores mais uma cepa B, apresentando uma proteção maior contra o vírus influenza. “Ela ter um diferencial protetor maior, o que não significa que a trivalente oferecida na rede púbica não tenha tanta proteção também”, acrescenta a médica.

“A vacina é muito importante para todas as pessoas acima dos seis medes de idade, principalmente em pessoas que estão no grupo de risco. Então independente de qual a vacina que o paciente opte – trivalente ou quadrivalente -, o importante é que ele se proteja”, completa. A vacina quadrivalente, na Clínica de Vacinas Panni, está custando R$ 100. “Temos desconto de 20% para clientes Unimed e ACC. Além disso, para clientes sem convênio temos o desconto família – de 10% para três ou mais pessoas”, acrescenta. Qualquer dúvida, a médica se coloca à disposição pelo e-mail patrícia@clinicapanni.com.br ou pelo telefone 3111-3559.