Ih, foi mal, a minha é Federal! | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Ih, foi mal, a minha é Federal!

Ih, foi mal, a minha é Federal!

por Caroline Weigel

Na última semana, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) divulgou o listão de classificados no Vestibular 2015. Ao todo, foram 3.996 selecionados. A UFRGS oferece anualmente 5.641 vagas na graduação. A partir deste ano, com duas possibilidades de ingresso, 3.996 vagas passam a ser preenchidas pelo Concurso Vestibular e as demais 1.645 ofertadas pelo Sistema de Seleção Unificada – SiSU.

Muitos estudantes comemoraram a notícia do ingresso na Universidade mais disputada do Rio Grande do Sul. Francine Ramos Fernandes, 18 anos, tentava pela segunda vez o vestibular para Relações Públicas, mas não acreditava que passaria. Assim, quando descobriu que seu nome estava no listão, teve uma grande surpresa.

“Fiz oito meses de cursinho pré-vestibular no Unificado, conciliando os estudos com o trabalho e as amizades, estudando sempre, na medida do possível”, conta. Para ela, houveram algumas dificuldades no caminho. “Antes do vestibular a pior parte é sempre abrir mão de momentos de lazer para estudar. Nas provas o mais difícil são as exatas, matérias nas quais sempre tive dificuldade”, relembra.

A melhor prova de Francine foi a de português. Na redação, ela não teve grandes dificuldades. “Achei um tema fácil de ser abordado porém muitas vezes acabou tornando-se um pouco clichê”,  analisa. Ela escolheu o curso de Relações Públicas por ser muito parecido com ela. “Sempre tive facilidade em me comunicar e prazer em me relacionar com as pessoas, o que estará bem presente na minha futura profissão”, finaliza.

Matemática

Natasha Linhares, 17 anos, fez o vestibular da Ufrgs pela primeira vez e conseguiu a aprovação em Matemática – Licenciatura. “Eu me preparei o ano todo com a matéria do terceiro ano do ensino médio, e a mais em física, biologia e química, por serem as que eu menos aprendi na escola”, conta. Para ela, o mais difícil foram as provas de ciências da natureza. Ela foi melhor em português, matemática e redação.

“Eu achava que não passaria pela dificuldade que tive nas matérias de ciências da natureza. Eu fiquei sem reação, nem acreditava que era meu nome, mas depois da confirmação eu fiquei muito contente por ver nos olhos dos meus avós o orgulho que eles estavam”, conta.

Ela escolheu a profissão por ser a sua melhor área desde o ensino fundamental. “Gosto de muito de lidar com números e a licenciatura escolhi pelo fato de ter estudado em escola pública e saber a falta que tem de professores”, completa.

Engenharia Elétrica

Giovanni Avila Marcolin já tinha tentando passar no Vestibular da Ufrgs e dessa vez foi aprovado para o curso de Engenharia Elétrica. “Estudei bastante ao longo do ano, sem deixar de me divertir com os amigos”, conta.

O mais difícil, pra ele, foi a prova de biologia, e a melhor foi matemática. “Na semana pós Ufrgs eu estava muito ansioso, mesmo que achasse que minhas notas tinham sido boas, pois precisava da nota redação também. Foi um alivio quando o listão saiu e fiquei muito feliz ao ver meu nome nele”, ressalta.

Ele escolheu a Engenharia Elétrica por ser a mais interessante. “Foi o curso que achei mais interessante, tanto pelas cadeiras oferecidas quanto pela atuação profissional”, conclui.