Cachoeirinha trabalha para conter o desemprego | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Cachoeirinha trabalha para conter o desemprego

Cachoeirinha trabalha para conter o desemprego

Como o mau momento econômico ao qual passa o Brasil e principalmente o Rio Grande do Sul, a Secretaria Municipal de Trabalho, Emprego e Renda (SMTER) trabalha para tentar amenizar o índice de desemprego, é o que diz o secretário titular da pasta, Luis Henrique Tino. “É evidente que o momento não é bom, empresas que tinham vagas no início do ano, hoje não as tem mais, e com isso cresceu o desemprego”, explica Tino.

Conforme o secretário, a SMTER tem procurado frequentemente as empresas tentando negociar, tentando evitar as demissões, porque a procura por emprego, segundo Tino, já está muito grande. A Agência Municipal de Trabalho, Emprego e Renda (AGEMTE) está com 283 vagas de emprego abertas para moradores do Município. Os cargos são para nível fundamental, médio e técnico.

Para concorrer as vagas os moradores de Cachoeirinha devem comparecer na Agência localizada na Rua Tamoios, 40, ao lado da prefeitura, com a Carteira de Trabalho e comprovante de residência, de 2ª à 6ª feira das 09h0 às 11h e das 13h30min às 16h30min.

Sine também possui vagas

A Agência FGTAS/SINE de Cachoeirinha realiza hoje, 19, a seleção para 55 vagas de trabalho para rede de supermercados. Os Interessados devem comparecer à unidade, localizada na Av. Flores da Cunha, 393; das 8h às 16h,  portando Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).

Para se candidatar às oportunidades de emprego é necessário ensino fundamental completo e não precisa ter experiência. A empresa oferece vale transporte, refeitório no local e assistência médica.

Cresce a procura por emprego

As Agências FGTAS/SINE registraram aumento de 39,8% na procura por emprego em Porto Alegre, enquanto, na Região Metropolitana, o índice teve acréscimo de 14,3%, no primeiro semestre de 2015 em comparação ao mesmo período de 2014. Na capital, 37.021 trabalhadores foram encaminhados para oportunidades de emprego, de janeiro a junho de 2015, contra 26.475 no mesmo período de 2014. Já na Região Metropolitana, 87.028 trabalhadores foram encaminhados, em 2015, contra 76.079, em 2014.

Porto Alegre

Em Porto Alegre, a busca por emprego foi maior entre os homens: cresceu 54% no primeiro semestre do ano, passando de 12.749 para 19.644 encaminhamentos. Já entre as mulheres o crescimento foi menor: 24%, passando de 13.726 para 17.377. Em 2014, a busca era maior entre o gênero feminino (13.726 encaminhamentos contra 12.749). A maioria dos trabalhadores que procurou trabalho, de janeiro a junho de 2015, possuía idades entre 18 e 24 anos, totalizando 13.065 encaminhamentos, e Ensino Médio completo (12.891 encaminhamentos). Em comparação ao ano passado, no entanto, a procura por emprego cresceu mais entre trabalhadores com Ensino Fundamental completo (60,2%) e até 17 anos (60,5%).

A maioria dos trabalhadores que buscou emprego nas Agências FGTAS/SINE de Porto Alegre encontrava-se em situação de desemprego: 34.824 encaminhamentos, no primeiro semestre de 2015; contra 24.677, no mesmo período do ano passado. A busca pelo primeiro emprego aparece na sequência, com 1.273 encaminhamentos, em 2015, contra 1.129, em 2014 (crescimento de 12,7%).

Entre os setores que registraram maior procura por trabalho estão serviços, com 16.476 encaminhamentos no primeiro semestre do ano e crescimento de 24,2% em comparação ao mesmo período do ano passado, e o comércio, com 16.171 encaminhamentos, em 2015, e acréscimo de 83,11%, em comparação a 2014. Em seguida, aparece a indústria com aumento de 8,9% em comparação ao mesmo período de 2014 (1.929 encaminhamentos). No primeiro semestre de 2015, as funções com o maior número de encaminhamentos foram faxineiro (5.570), operador de caixa (2.822) e vendedor de comércio varejista (2.757).

Região Metropolitana

Na Região Metropolitana, o setor de serviços também registrou o maior número de encaminhamentos (30.898), seguido pelo comércio (28.898) e agropecuária (21.039), de janeiro a junho de 2015. A procura por emprego cresceu mais para oportunidades no comércio: 31,7% em comparação ao primeiro semestre de 2014. As funções com o maior número de encaminhamentos neste ano são alimentador de linha de produção (15.401), faxineiro (10.919) e vendedor de comércio varejista (5.041).

A maioria dos encaminhados possuía idades entre 18 e 24 anos (30.023) e Ensino Médio completo (28.034), contudo, em comparação a 2014, a faixa etária que apresentou maior aumento na busca por trabalho foi a de 25 a 29 anos (17,6%) e a escolaridade, Ensino Fundamental completo (22,5%). A grande maioria dos trabalhadores que buscou emprego nas Agências FGTAS/SINE da Região Metropolitana de Porto Alegre encontrava-se em situação de desemprego: 83.365 encaminhamentos, no primeiro semestre de 2015; contra 72.193, no mesmo período do ano passado. A busca pelo primeiro emprego aparece na sequência, com queda de 2,2%: 1.923 encaminhamentos, em 2015, contra 1.968, em 2014.

Rio Grande do Sul

No Estado, as Agências FGTAS/SINE registraram queda na busca por emprego, no primeiro semestre de 2015 em comparação ao mesmo período de 2014: 167.983 contra 171.219 encaminhamentos.