CACHOEIRINHA EM LUTO | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

CACHOEIRINHA EM LUTO

CACHOEIRINHA EM LUTO

O Volnei Gomes sempre foi um político atuante no cenário político municipal, estadual e nacional. Respeitado por todas as lideranças políticas do município, sempre teve transito livre nos mais diversos partidos, desde os da direita a extrema esquerda. Lutou contra a ditadura nos movimentos sociais principalmente na década de 70, ao lado de comunistas, como o  falecido Freitas do PC do B.

Foi vice-prefeito municipal na legislatura 83/88, onde o  Prefeito era o Francisco de Medeiros. Nesta época o Volnei era o intelectual por trás do gaiteiro (época de ouro da política de Cachoeirinha, lembrada por todos como o melhor governo do município).

Em 1986 foi candidato a Deputado Estadual pelo PMDB, em dobradinha com o Federal Antônio Brito, não tendo a felicidade de ser eleito. Após a campanha de 1986, houve um racha, razão pela qual, Volnei deixou o PMDB em 1988 e fundou o PSDB, sendo o primeiro presidente do partido em Cachoeirinha, fazendo parte do diretório Estadual e Nacional do PSDB.

Em 1988 concorreu a prefeito pelo PSDB, contudo, não obteve êxito, mas, ajudou a eleger vários vereadores naquela eleição. Durante anos fez parte da executiva do PSDB municipal e Estadual, tendo sido por diversas vezes secretário e tesoureiro do PSDB Estadual.

Em 2000, durante a campanha municipal, onde o candidato do PSDB a prefeito era o Gilso Nunes, Volnei coordenou a campanha de Gilso e concorreu a vereador, contudo, descuidou de sua campanha para vereador aja vista estar muito envolvido com a majoritária, não conseguindo se eleger. Neste mesmo ano, durante a campanha eleitoral descobriu que estava com Mal de Parkson, que agravou-se com o passar dos anos.

Após está campanha eleitoral, Volnei pendurou as chuteiras por assim dizer, não concorrendo mais a nenhum cargo eletivo, contudo, sempre esteve presente nas discussões políticas do município e a frente do PSDB de Cachoeirinha.

Nos anos em que se seguiram, coordenou a campanha do Ervino Deon a prefeito de Cachoeirinha pelo PSDB em 2004 e apoiou a candidatura da Marli do Canto a vereadora.

Em 2006 esteve à frente da campanha vitoriosa que elegeu a Governadora Yeda Crusius pelo PSDB.

Em 2008 com a impossibilidade de Ervino Deon concorrer a prefeito, foi um dos principais articuladores da aliança do PSDB com o Prefeito Vicente Pires, aliança esta que se perpetuou ao longo dos anos. Neste ano, foi impar na condução dos trabalhos do PSDB durante a campanha, mesmo estando apoiando a candidatura da Marli do Canto a vereadora, auxiliou e deu suporte a todos os demais candidatos a vereador do partido.

Em 2011 a frente do PSDB conduziu as negociações para que o partido ocupa-se um cargo no primeiro escalão do Governo Vicente Pires, tendo articulado internamente no partido e junto ao Prefeito Vicente, a minha indicação para ocupar o cargo de Secretário Municipal de Cidadania e Assistência Social de Cachoeirinha.

Em 2012, como presidente municipal do PSDB, foi o principal articulador da manutenção da aliança do PSDB junto ao Governo Municipal, apoiando a reeleição de Vicente Pires, auxiliando os candidatos a vereador do PSDB, em especial, na minha campanha a vereança.

Em 2013, após alguns desentendimentos internos dentro do PSDB municipal, articulou a saída dos principais expoentes do partido, migrando para o PSB. De lá pra cá, gradativamente foi afastando-se da política, bem como, houve o agravamento de seu estado de saúde.

Volnei Gomes era advogado, tendo iniciado faculdade de medicina, contudo, desistiu, pois não se sentiu apto a área médica, dedicando-se aos estudos jurídicos. Deixa duas filhas oriundas do primeiro casamento com a Assistente Social Mara, (Letícia Gomes – Hoje diretora da Saúde, e Daniela Gomes). Casado com Iraci Dapper Gomes (Oficiala de Justiça do TJ/RS).

Era um homem muito culto, adorava ler, e principalmente, discutir política. Era habilidoso na arte da política, o tipo de político que consegue sempre conciliar. Podia chegar em uma reunião acirrada, pegando fogo, que conseguia acalmar os ânimos de todos e fazer com que saíssem apenas depois de chegarem a um consenso.

No dia de hoje, Cachoeirinha perde um grande homem, político, chefe de família e cidadão, para muitos, um grande amigo, dono de uma oratória fantástica, um carisma e simpatia sem igual.