Arroio que corta parte do bairro é a principal queixa no Vista Alegre | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Arroio que corta parte do bairro é a principal queixa no Vista Alegre

Arroio que corta parte do bairro é a principal queixa no Vista Alegre

por Dijair Brilhantes

O Bairro da série desta semana abordado pelo jornal Correio de Cachoeirinha é o Vista Alegre. Moradores fazem queixas semelhantes aos de outros bairros da cidade: ruas sem pavimentação, falta de segurança, escassez de espaços de lazer, embora o que mais desaponte os moradores do Vista Alegre seja o  arroio que corta uma das vias mais movimentadas da região, o mesmo traz diversos transtornos a população do local. Problema é antigo, mas muito longe de uma solução.

Segurança     

Bastou nossa reportagem abordar a primeira moradora da região para ouvir uma queixa recorrente nos bairros já percorridos pela série: falta segurança. “Sentimos falta de segurança, raramente vemos uma viatura da Brigada Militar por aqui”, falou Elisete Fernandes, proprietária de uma Agropecuária, no Bairro Vista Alegre.

Segundo Elisete os assaltos são frequentes nos comércios do bairro. “Há algumas semanas assaltaram o entregador de leite aqui no mercado da frente, roubaram a carteira dele na hora que ele foi receber o pagamento. Os moradores saíram atrás dele e bateram nele, foi linchado, só não morreu porque a polícia chegou”, contou a comerciante. “Eu não gosto de ver isso, por isso nem olhei”, complementa.

A obra inacabada onde deveria ser uma praça de esportes do bairro se tornou inimiga do bairro. “Eu já fui até a prefeitura e falei com o secretário, pois o prefeito não quis me atender para falar que essa obra ai virou um ponto de risco, as pessoas podem ser assaltadas, está abandonado”, falou Pedro Valmir Lopes, morador do bairro há 45 anos.   

Pavimentação

Uma parte do bairro sofre com a falta de pavimentação, há pouco mais de um mês, os moradores trancaram a Avenida Cristóvão Colombo exigindo uma atitude da prefeitura. “Trancamos a Cristóvão, e fizemos uma mobilização para chamar a atenção das autoridades e deu certo”, contou Lucas Rocha, morador de uma das ruas que precisam de pavimentação. Poucos dias depois do protesto funcionários da prefeitura foram até o local, e começaram as obras, a Rua Tangará parece que irá ganhar asfalto nos próximos dias. “Eles vieram aqui e trocaram o encanamento, colocaram o meio fio”, contou Lucas Rocha, morador do bairro há pouco mais de um ano.

Após protestos dos moradores do bairro, rua Tangará ganhara asfalto. Encanamento também foi trocado, com um diâmetro maior, a tubulação deve acabar com os problemas de enchentes na região

Após protestos dos moradores do bairro, rua Tangará ganhara asfalto. Encanamento também foi trocado, com um diâmetro maior, a tubulação deve acabar com os problemas de enchentes na região

Fiscalização das obras

A falta de fiscalização das obras feitas pelos próprios moradores incomodam algumas pessoas que residem no local devido ao perigo. “Todos constroem casas que invadem parte da calçada, prédios sem fiscalização por parte da prefeitura, é um risco para comunidade”, falou um morador que pediu para não ter seu nome identificado.

Na esquina das ruas Tangará e Cristóvão Colombo, o pátio de uma residência invadiu o passeio público, os funcionários da prefeitura estão com dificuldades de colocar a tampa do bueiro devido ao muro. “O dono da casa usou parte da calçada para construir sua casa e colocou grade, a prefeitura vai ter que fazer recuar”, disse o morador.

Um valão corta a avenida

Em meio a Avenida Cristóvão Colombo há um grande valo que divide a via, teoricamente deveria definir a mão das vias. “Aqui virou terra de ninguém, os carros andam na contramão, não tem fiscalização nenhuma”, disse Lauro Rogel. Os riscos vão além, devido à imprudência dos motoristas. “Durante a noite os carros fazem racha aqui, a guarda de trânsito nunca vem aqui”, lamenta.

O problema do valo aberto vai muito além do que os olhos podem perceber em uma simples passagem pela Avenida. Basta parar e fazer uma breve análise para perceber a quantidade de lixo, rapidamente o cheiro forte invade as narinas e se torna insuportável. “Além do cheiro o risco de doenças que esse valo traz pra nós é um absurdo”, fala Lauro Rogel. O hoje aposentado lembra que hoje há uma onda de dengue no estado, e o valo trás esse risco a comunidade. “Os casos de dengue cresceram muito no Rio Grande do Sul, esse valão aberto é um risco. Sem falar na quantidade de ratos que entram em nossas casas”, lamenta Lauro.

Lauro Rogel, fala que o povo é culpado pela quantidade de lixo jogada dentro do valão, mas diz nunca ter visto a prefeitura fazer a limpeza do local.  O aposentado lembra que hoje há uma onda de dengue no estado, e o valo trás grandes riscos a comunidade

Lauro Rogel, fala que o povo é culpado pela quantidade de lixo jogada dentro do valão, mas diz nunca ter visto a prefeitura fazer a limpeza do local. O aposentado lembra que hoje há uma onda de dengue no estado, e o valo trás grandes riscos a comunidade

Enchentes

Com as obras de pavimentação que finalmente começaram a ser feitas em algumas ruas do Bairro Vista Alegre, os moradores esperam que os bueiros funcionem e não seja mais necessário se preocuparem com as chuvas. Morador da Cristóvão Colombo com a Rua Tangará, Valter de Oliveira teme que a casa volte a ter problemas de alagamento. “Quando asfaltaram a Cristóvão Colombo há uns quatro anos atrás, minha casa alagou, os canos não deram conta, e meia hora de chuva arrastou o asfalto e entrou na minha casa”, lembra Valter.

Valter de Oliveira, teme que asfaltamento da Rua Tangará traga de volta os problemas de enchente em dias de chuva. Segundo ele quando a Cristóvão Colombo foi asfaltada, precisou meia hora de chuva para sua casa ficar alagada

Valter de Oliveira, teme que asfaltamento da Rua Tangará traga de volta os problemas de enchente em dias de chuva. Segundo ele quando a Cristóvão Colombo foi asfaltada, precisou meia hora de chuva para sua casa ficar alagada

Para Lauro Rogel, a população tem parte de culpa, mas as autoridades locais se omitem tanto na fiscalização quanto na limpeza e manutenção. “Os moradores jogam de tudo no valo, lixo, entulho, e animais mortos, às vezes o caminhão passa e em seguida alguém toca algo no valo”, lamenta Lauro. O morador também diz que nunca viu o local ser limpo. “Eu moro há 22 anos aqui, nunca vi a prefeitura limpar esse valo, daí não adianta só cobrar o povo. A culpa sempre é do povo”, exclama Lauro.

Saúde    

Após muito tempo reivindicando, a população do Bairro Vista Alegre ganhou em 2015 uma Unidade Básica de Saúde Vereador José Ramos. “Depois de muitos anos de luta, saiu o Posto de Saúde, foi um ganho para a comunidade” comemora Lauro. Lucas Rocha perdeu parte do dedo em um acidente de trabalho no mês passado, diz estar fazendo o tratamento no novo posto. “Eu estava trabalhando e perdi a metade do dedo, e fiz tratamento ali, muito bom o atendimento, só falta ter dentista”, fala Lucas. O morador ainda tenta se adaptar com a falta de parte do dedo indicador. “Eu ainda estou me adaptando, é difícil às vezes olhar e ver que falta uma parte do corpo que tu sempre teve”, concluí Lucas.

Unidade Básica de Saúde instalada no bairro em 2015, é considerada pelos moradores como uma grande conquista da comunidade. Após perder parte do dedo em um acidente de trabalho, Lucas Rocha passou a fazer todo o tratamento no novo posto, morador elogia o atendimento

Unidade Básica de Saúde instalada no bairro em 2015, é considerada pelos moradores como uma grande conquista da comunidade. Após perder parte do dedo em um acidente de trabalho, Lucas Rocha passou a fazer todo o tratamento no novo posto, morador elogia o atendimento

O Bairro Vista Alegre não foge muito dos problemas já contados aqui, o agravante parece ser o valão que corta a Avenida Cristóvão Colombo, que atordoa a população.