Alameda encantada | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Alameda encantada

Alameda encantada

por Caroline Weigel

Há 7 meses, Sadi Machado da Silveira, de 78 anos, e Clarinda Portela da Silveira, de 73 anos, se mudaram para a rua Juarez Cardoso Evaldt, no Parque da Matriz, e com boa vontade e muito talento trouxeram beleza e encanto para uma alameda ao lado de sua casa.

“Estava tudo sujo, cheio de entulhos e restos da obra. Fomos limpando e pedimos para a prefeitura, que prontamente nos atendeu e retirou os entulhos que tinham aqui. Então comecei a capinar e plantar”, conta Sadi.

E foi assim que ele conseguiu transformar o que antes era um local de poluição ambiental e visual em um local de lazer e beleza. Se antes as aranhas, escorpiões e outros bichos ocupavam o lugar, com o trabalho dedicado do casal hoje são os passarinhos que passeiam pela alameda.

“O Sadi gosta muito de plantar e mexer com a terra, não consegue ficar parado. Então ele começou a plantar. Nós morávamos numa casa na Faixa de Taquara, na parada 79, e vamos trazendo as mudas de lá para plantar aqui”, explica a esposa Clarinda.

Aos poucos, as pessoas foram percebendo o belo trabalho e começaram a cuidar do espaço também. “Antes não passava ninguém por aqui, agora as crianças passam, as professoras ensinam a não mexer nas flores, elas ficam olhando. Todo mundo consegue circular por aqui agora”, ressalta Sadi.

Ele plantou rosas, hortênsias, suspiros de jardim, bromélias, ramo bento, orquídeas, maracujá, mamão, cidró, pimentinhas e até mesmo um pé de coco-anão, que o filho trouxe da Bahia. “Eu venho e cultivo. Gosto de mexer com a terra e conversar com as plantas. Não nos custa nada cuidar e ainda deixa o local bem mais bonito. Não adianta só a prefeitura cuidar, cada um tem que ajudar e fazer sua parte”, completa.