Agemte ainda não emitiu carteira de trabalho em 2015 | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Agemte ainda não emitiu carteira de trabalho em 2015

Agemte ainda não emitiu carteira de trabalho em 2015

por Dijair Brilhantes

Em pouco mais de um mês, cerca de mil moradores de Cachoeirinha foram impedidos de tirar a CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social). Tudo por conta da troca de sistema operacional dos computadores da Agência Municipal de Trabalho e Emprego, que atende em torno de 50 pessoas diariamente.

Segundo o Secretário do Trabalho Emprego e Renda, Luis Henrique Tino, o problema é burocrático. A empresa vencedora da licitação não entregou o novo equipamento no prazo combinado. “A empresa contratada deveria ter entregue o equipamento no fim de dezembro, para evitar os transtornos, mas infelizmente eles não cumpriram o prazo”.

Segundo Ana Paula Barros, coordenadora da agência, a empresa contratada foi notificada duas vezes pela prefeitura, devido à demora. A última notificação ocorreu no dia 08 de Janeiro. “Eles (empresa) foram notificados e pediram mais 45 dias para que a entrega do equipamento seja feita, como isso está previsto no contrato temos que aguardar”, disse Ana Paula.

Esforço

O secretário ressalta que não está faltando empenho da prefeitura e da Secretaria para que o problema seja resolvido o mais breve possível. “Não estamos medindo esforços para solucionar o problema, sabemos da necessidade da comunidade”, enfatiza Tino.

Hoje os usuários estão sendo encaminhados para a agência de Gravataí ou para o Tudo Fácil, que fica localizado no Centro da capital.

Gisele Silva, gestora de contratos da Agemte, diz que caso a prefeitura rompa o contrato com a empresa vencedora da licitação, a mesma será impedida de participar de qualquer processo licitatório do município. “O contrato não prevê multa, mas deixará a empresa impedida de participar de novos pregões eletrônicos”, diz a gestora.

Resolução

Conforme o secretário uma solução para o caso pode ser a compra separada do coletor de assinatura digital, já que esta é única parte do equipamento que ainda está faltando. “Estamos pensando em fazer a compra separada dessa parte do equipamento para tentar solucionar de vez esse problema”, diz o secretário.

Caso a compra separada do equipamento seja feita, não será necessária nova licitação devido ao valor, que é considerado baixo.

Outros serviços como a emissão de carteira de identidade, CPF e encaminhamento de vagas de emprego estão funcionando normalmente.