Acidente causa congestionamento na Flores da Cunha | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Acidente causa congestionamento na Flores da Cunha

Acidente causa congestionamento na Flores da Cunha

Um acidente na manhã de quarta-feira, 01, causou um grande congestionamento na Avenida Flores da Cunha. Um ônibus da Empresa Transcal colidiu com um caminhão. O fato ocorreu sobre a Ponte que liga Cachoerinha a Porto Alegre. Conforme relatos, o motorista do ônibus não teria conseguido frear o coletivo e acabou chocando-se contra a traseira do caminhão.

Com o choque, uma passageira do ônibus teve ferimentos leves, mas precisou ser socorrida pelo Samu.  O acidente deixou o trânsito lento por pouco mais de uma hora. Um guincho da empresa Transcal foi chamado para remover o coletivo.

Incidente

Durante o congestionamento, um agente de trânsito que orientava os motoristas foi agredido por um motociclista. Após discussão, o motoqueiro desceu da moto e desferiu um soco contra o rosto do agente. O motoqueiro fugiu do local. Até o fechamento da edição, o agente ainda não havia registrado ocorrência.

Mudanças

Autoridades de trânsito, empresas de ônibus, transportadoras e interessados em reduzir a acidentalidade no trânsito de modo geral contam, desde a última terça-feira, 31, com uma importante ferramenta para pensar suas ações e projetos. Em evento no Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística do Estado do RS, o Detran/RS apresentou relatórios de dados estatísticos da acidentalidade gaúcha envolvendo o transporte de cargas e de passageiros de 2010 a 2014.

Entre outras informações, destaca-se a porcentagem de acidentes com vítima fatal incluindo pelo menos um caminhão (24% do total desse tipo de acidente no período considerado). Já quando os acidentes com ônibus são enfocados, chama a atenção o número de colisões e atropelamentos – mais de 90% dos acidentes com ônibus ou micro-ônibus são dessa natureza.

“Mas não queremos somente oferecer números. O Detran/RS que trazer propostas concretas à sociedade e é isso que estamos iniciando neste evento. Consideramos importante ir além da esfera das instituições públicas para abarcar outras visões do problema da acidentalidade”, explica o diretor-geral do Detran/RS, Ildo Szinvelski.

Para o secretário da Modernização Administrativa e dos Recursos Humanos, Eduardo Olivera, a intenção do governo não é buscar responsáveis pela acidentalidade, mas sim soluções em consenso. Lembrando o momento de austeridade que o Estado atravessa, afirmou que o Rio Grande do Sul não tem mais de onde buscar crédito, salvo junto ao povo gaúcho. Para isso, aposta no diálogo, do qual esse evento é exemplo, e na responsabilidade compartilhada.

Propostas apresentadas

O evento reuniu número expressivo de autoridades e entidades ligadas à segurança no trânsito. Além do diretor-geral do Detran/RS, compuseram o grupo diretivo o secretário da Modernização Administrativa e dos Recursos Humanos, Eduardo Olivera, o presidente do Setcergs, Afrânio Kieling, o presidente da Fecavergs (Federação dos Taxistas e Transportadores Autônomos de Passageiros do RS), Moacir da Silva, o presidente da Fecam (Federação dos Caminhoneiros Autônomos do RS e SC), Eder do Lago, e, representando a Fetergs (Federação das Empresas de Transportes Rodoviários do RS), José Antônio Schmitt de Azevedo. Pelo Setcergs, falou o vice-presidente de Logística Frank Woodhead. O debate foi mediado pelo assessor técnico da entidade, coronel João Trindade.

Um acidente na manhã de quarta-feira, 01, causou um grande congestionamento na Avenida Flores da Cunha. Um ônibus da Empresa Transcal colidiu com um caminhão. O fato ocorreu sobre a Ponte que liga Cachoerinha a Porto Alegre. Conforme relatos, o motorista do ônibus não teria conseguido frear o coletivo e acabou chocando-se contra a traseira do caminhão.

Com o choque, uma passageira do ônibus teve ferimentos leves, mas precisou ser socorrida pelo Samu.  O acidente deixou o trânsito lento por pouco mais de uma hora. Um guincho da empresa Transcal foi chamado para remover o coletivo.

Incidente

Durante o congestionamento, um agente de trânsito que orientava os motoristas foi agredido por um motociclista. Após discussão, o motoqueiro desceu da moto e desferiu um soco contra o rosto do agente. O motoqueiro fugiu do local. Até o fechamento da edição, o agente ainda não havia registrado ocorrência.

Mudanças

Autoridades de trânsito, empresas de ônibus, transportadoras e interessados em reduzir a acidentalidade no trânsito de modo geral contam, desde a última terça-feira, 31, com uma importante ferramenta para pensar suas ações e projetos. Em evento no Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística do Estado do RS, o Detran/RS apresentou relatórios de dados estatísticos da acidentalidade gaúcha envolvendo o transporte de cargas e de passageiros de 2010 a 2014.

Entre outras informações, destaca-se a porcentagem de acidentes com vítima fatal incluindo pelo menos um caminhão (24% do total desse tipo de acidente no período considerado). Já quando os acidentes com ônibus são enfocados, chama a atenção o número de colisões e atropelamentos – mais de 90% dos acidentes com ônibus ou micro-ônibus são dessa natureza.

“Mas não queremos somente oferecer números. O Detran/RS que trazer propostas concretas à sociedade e é isso que estamos iniciando neste evento. Consideramos importante ir além da esfera das instituições públicas para abarcar outras visões do problema da acidentalidade”, explica o diretor-geral do Detran/RS, Ildo Szinvelski.

Para o secretário da Modernização Administrativa e dos Recursos Humanos, Eduardo Olivera, a intenção do governo não é buscar responsáveis pela acidentalidade, mas sim soluções em consenso. Lembrando o momento de austeridade que o Estado atravessa, afirmou que o Rio Grande do Sul não tem mais de onde buscar crédito, salvo junto ao povo gaúcho. Para isso, aposta no diálogo, do qual esse evento é exemplo, e na responsabilidade compartilhada.

Propostas apresentadas

O evento reuniu número expressivo de autoridades e entidades ligadas à segurança no trânsito. Além do diretor-geral do Detran/RS, compuseram o grupo diretivo o secretário da Modernização Administrativa e dos Recursos Humanos, Eduardo Olivera, o presidente do Setcergs, Afrânio Kieling, o presidente da Fecavergs (Federação dos Taxistas e Transportadores Autônomos de Passageiros do RS), Moacir da Silva, o presidente da Fecam (Federação dos Caminhoneiros Autônomos do RS e SC), Eder do Lago, e, representando a Fetergs (Federação das Empresas de Transportes Rodoviários do RS), José Antônio Schmitt de Azevedo. Pelo Setcergs, falou o vice-presidente de Logística Frank Woodhead. O debate foi mediado pelo assessor técnico da entidade, coronel João Trindade.