A arte para resgatar a autoestima | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

A arte para resgatar a autoestima

A arte para resgatar a autoestima

por Dijair Brilhantes

Usar a arte para resgatar a autoestima, com esse objetivo o professor de educação artística Paulo César da Silva instigou os alunos da Escola Técnica Estadual Marechal Mascarenhas de Moraes a entrarem no mundo das artes. Após as aulas teóricas os alunos começaram a se inspirar em grandes obras para pintar quadros de artistas de renome, e ao decorrer do tempo foram criando as próprias imagens.

“Estou desde 2011 com este trabalho, desde lá mais de mil e trezentos alunos passaram por está experiência de conhecer mais de perto a arte, não de forma só teórica, mas também prática”, explica o professor.

Aos poucos os professores foram notando que a arte começou desenvolvendo a criatividade em outras habilidades e os conteúdos são aprendidos. “Notou-se mudança de comportamento, uma melhor valorização do patrimônio, a escola passou a ser menos depredada”, disse o diretor Anes Bandeira. “A arte muda a cultura”, conclui o diretor.

Ideia partiu dos alunos  

Assim como ocorre na maioria das escolas, o ensino de arte se resumia a tarefas pouco criativas e marcadamente repetitivas, muitos desenhos abstratos em uma folha A4, o que acaba desvalorizando a disciplina na grade curricular. “Os alunos pediram para fazer arte fora do papel, até então tínhamos uma aula com explanação teórica e eles desenhavam em uma folha”, conta o professor. “Eles (os alunos) começaram a debater ideias e ao pouco fomos mudando o trabalho”, explica.

Mostrar uma obra de arte, discutir suas características e pedir que cada aluno faça o mesmo desenho no caderno deixou de ser uma prática na Escola Mascarenhas. “Hoje cada aluno quer fazer uma obra melhor, eles pesquisam sobre a arte, e vem para as aulas tentar reproduzir o conteúdo”, diz Paulo César.

Mostrar uma obra de arte, discutir suas características e pedir que cada aluno faça o mesmo desenho no caderno deixou de ser uma prática na Escola Mascarenhas. Após a explanação teórica os alunos partem para a prática

Mostrar uma obra de arte, discutir suas características e pedir que cada aluno faça o mesmo desenho no caderno deixou de ser uma prática na Escola Mascarenhas. Após a explanação teórica os alunos partem para a prática

Custos

O professor ressalta que apoiou a iniciativa dos alunos, mas desde o início ele deixou claro que não tinha como a escola arcar com o custo dos materiais. “Tudo tem um custo, infelizmente a escola não tem como comprar o material necessário para que os alunos produzam as obras”, lamenta o professor.

O professor Paulo diz que os alunos contam para ele que obras irão fazer, e ele vai atrás dos orçamentos para saber quanto irá custar. “Eu faço os orçamentos e depois repasso aos alunos levarem os preços para os país” explica o professor.

Outras disciplinas

Os alunos passaram a usar a arte em outras disciplinas, inclusive cada setor da escola passou a ser identificado com algum quadro referente ao conteúdo. “Cada prédio da escola é identificado com uma das pinturas, o prédio das humanas tem uma arte referente à humanas, o da ciências a mesma coisa”, diz Paulo.

Os alunos tiveram melhoras em comportamento e na aprendizagem de outras disciplinas, o que segundo o professor de artes é o que torna mais estimulante o trabalho. “Tivemos boas respostas de aprendizagem nestes quatro anos, e incrivelmente os alunos que eram considerados os de mais difícil trato são os que melhor saem”, ressalta o professor.