Protagonistas da vida: Escritor da cidade prepara material para 2015 | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Protagonistas da vida: Escritor da cidade prepara material para 2015

Protagonistas da vida: Escritor da cidade prepara material para 2015

por Caroline Weigel

Sérgio Luis Lisboa, 52 anos, é conhecido na cidade por seus livros e suas crônicas. Morador do bairro Vila Cachoeirinha, ele começou em 2008 a escrever. “Eu adorava ler crônicas, mas achava muitas horríveis. Gostava muito de Luis Fernando Veríssimo justamente pelo poder de síntese dele e por ter esse humor irônico”, conta.

Assim, ele começou publicando suas crônicas na internet. E, de repente, muitos comentários positivos de outros escritores começaram a aparecer. “Muitos escritores começaram a elogiar, até me surpreendeu, pois me considero um amador”, diz.

Sérgio publicou 180 textos em 180 dias, de janeiro a julho de 2008. Depois, motivado e incentivado pelos comentários, escolheu as 32 melhores crônicas e fez a primeira coletânea. Que foi um sucesso. Depois fez mais duas coletâneas.

“Eu tenho meu estilo, irônico, debochar de mim, sempre tem uma crítica. Uma vez me chamaram de moralista, fui olhar o significado, e é aquele que sempre deixa uma mensagem. E eu tento fazer isso, sempre deixar uma mensagem no final dos meus textos”, explica. Sérgio segue uma receita própria na hora de fazer as crônicas: “tenho um cuidado para prender no início e o final ser surpreendente”, ressalta.

Sérgio já foi finalista do prêmio Livro do Ano da Associação Gaúcha de Escritores, em 2010, ficando com o 2º lugar. “A crônica é uma escolha porque ela é mais rápida. Não tenho paciência para romance, nem para ler, nem para escrever. Sempre tenho que trabalhar o poder de síntese, isso é muito difícil na crônica”, salienta.

Independente

Sérgio destaca que suas publicações são independentes. “É um pouco de revolução. Esse é meu objetivo: mostrar que as pessoas podem publicar suas histórias sem depender de editora, ou gráfica. O custo de um livro, que eu faço artesanalmente, é de R$ 0,15. As pessoas conseguem comprar, muitos eu até dou”, garante.

Ele já está organizando mais livros para lançar neste ano. “Já tenho material pronto. Quero começar também Crônicas de Uma Página Só, um projeto que estou desenvolvendo. As pessoas tem sede de leitura”, completa.

Em 30 dias, Sérgio chegou a vender mil livros e é bastante conhecido na cidade por ser escritor. Muitos o incentivam a continuar e, hoje em dia, ele faz esse trabalho para o leitor, esperando que o receptor goste dos textos. “Minha ideia é motivar outras pessoas. Eu digo para quem quiser escrever, ser independente, ir atrás, publicar seus textos”, conclui.